Não há como reerguer a indústria sem nova relação entre Estado e mercado, diz Mercadante

Presidente do BNDES disse que o mercado é "indispensável no desenvolvimento econômico"

Estadão Conteúdo

Publicidade

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante (PT), afirmou nesta segunda-feira (22) que não há como reerguer a indústria brasileira sem uma nova relação entre Estado e mercado.

Mercadante também disse que o Brasil precisa de uma transição digital acelerada e que a transição para economia verde depende da participação do Estado, pois é mais caro desenvolver novas tecnologias.

“Nós não temos como reerguer a indústria brasileira sem uma nova relação entre Estado e mercado. Não é substituir o mercado, não é não acreditar na importância do mercado, que é uma instituição indispensável no desenvolvimento econômico. Mas o Brasil precisa, diante dos desafios históricos, da transição digital acelerada e do imenso desafio que é essa crise ambiental”, disse Mercadante.

Continua depois da publicidade

O presidente do BNDES participou do lançamento da nova política industrial do país, chamada “Nova Indústria Brasil”, em evento no Palácio do Planalto. Serão disponibilizados até R$ 300 bilhões em financiamentos até 2026.

Em seu discurso, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirmou que a verba disponível é um “alento” para que o país saia do patamar em que se encontra e dê um “salto de qualidade”. Ele cobrou dos ministros um acompanhamento para garantir o cumprimento das ações previstas.

Newsletter

Infomorning

Receba no seu e-mail logo pela manhã as notícias que vão mexer com os mercados, com os seus investimentos e o seu bolso durante o dia

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Tópicos relacionados