Dilma x Bolsa

Não foram só estatais; veja quem mais ganhou com rumor de queda de Dilma nas pesquisas

42 das 72 ações do Ibovespa subiram mais de 10% nos últimos 16 dias com expectativa de diminuição das intenções de votos para a presidente nas pesquisas eleitorais

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Rumores sobre queda da presidente Dilma Rousseff nas pesquisas sobre inteções de voto para a eleição de outubro começaram a ganhar força na segunda metade do mês passado. A leitura do mercado foi clara: uma possível mudança no governo aliviaria o peso que as estatais vêm carregando nos últimos anos devido a forte interferência governamental. A reação não podia ter sido diferente e as ações da Petrobras (PETR3; PETR4), Eletrobras (ELET3; ELET6) e Banco do Brasil (BBAS3) dispararam mais de 25% nesses últimos 16 dias.

Mas não foram somente elas que ganharam na Bolsa. Além delas, mais 37 ações do Ibovespa subiram mais de 10% nesses dias, lembrando que a carteira teórica do principal índice de ações da bolsa de valores possui 72 ações. O próprio benchmark avançou 12,03% no período. 

Bancos privados e elétricas também foram fortemente beneficiadas pela expectativa de queda de Dilma – ambos setores bem pressionados por conta da interferência do governo. Algumas imobiliárias também “surfaram” nesse otimismo do mercado. 

PUBLICIDADE

Entre as top 5 do período estão as ações ordinárias da Eletrobras, Prumo (LLXL3), ex-LLX, as preferenciais e ordinárias da Petrobras e os papéis do Banco do Brasil (BBAS3), que registram valorizações desde o fechamento do dia 18 de março até a véspera de 35,14%, 29,16%, 27,75%, 26,69% e 25,11%, respectivamente. Rossi (RSID3), Cesp (CESP6) e Gafisa (GFSA3) aparecem na sequência, com ganhos de 24,17%, 23,66% e 23,64%

Interessante notar que apenas 4 empresas listadas no Ibovespa não acompanharam o otimismo e caíram no período, são elas: as ações da Oi (OIBR4), Cia Hering (HGTX3), Suzano (SUZB5) e Souza Cruz (CRUZ3), que recuaram 11,03%, 4,37%, 1,71% e 1,60%, respectivamente.

Além disso, na laterna dos ganhos – com alta inferior a 3% no período – aparecem os papéis da Hypermarcas (HYPE3, +2,50%), CSN (CSNA3, +2,03%), Natura (NATU3, +2,01%), Embraer (EMBR3, +1,91%), Gerdau (GGBR4, +1,58%), Metalúrgica Gerdau (GOAU4, +1,47%) e Brookfield (BISA3, +1,27%).

O que o mercado está “comprando”?
Três pesquisas – duas sobre intenções de votos e uma sobre a popularidade do atual governo – deixaram o mercado euforico nos últimos dias. No dia 19 de março, o mercado especulava sobre a queda nas intenções de voto de Dilma Rousseff para uma reeleição em outubro. Neste dia, os papéis das estatais dispararam na Bolsa: PETR3 subiu 3,48%; PETR4, +2,85%; ELET3, +6,14%; ELET6, +2,66%; e BBAS3, +4,59%.

A pesquisa, que estava programa para ser divulgada naquela noite, só foi reportada na noite do dia seguinte. Mas contrário aos rumores, a pesquisa seguiu inalterada. Dilma seguiu com 43% das intenções de voto, enquanto Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) registraram 15% e 7%, respectivamente.

Na última quinta-feira, 27, foi divulgado uma segunda pesquisa, essa sobre a popularidade do atual governo e encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). A avaliação positiva saiu de 43% para 36%. Foi a primeira vez, desde julho do ano passado, logo após os protestos na rua, que a presidente interrompeu a trajetória ascendente da avaliação positiva. Os papéis da Eletrobras (ELET3, +9,84%, ELET6, +3,52%), Petrobras (PETR3, +7,55%; PETR4, +8,13%) e Banco do Brasil (BBAS3, +6,63%) dispararam no dia

Já no pregão da última quarta-feira, 2 de abril, o mercado “comprava” a expectativa de que uma pesquisa Datafolha, que está programada para ser divulgada no dia 5 de abril, mostre queda na intenção de votos para Dilma. De acordo com coluna do jornalista Kennedy Alencar, o Planalto já trabalha com essa possibilidade. Ontem, subiram forte os ativos PETR3, +4,05%; PETR4, +4,75%; ELET3, +4,44%; ELET6, +5,89%; BBAS3, +4,17%.

Confira as ações que subiram mais de 10% desde o dia 18 de março:

EmpresaTickerVariação
Eletrobras ON ELET3 +35,14% 
Prumo Logística LLXL3 +29,16% 
Petrobras PN PETR4 +27,75% 
Petrobras ON PETR3 +26,69% 
Banco do Brasil BBAS3 +25,11% 
Rossi RSID3 +24,17% 
Cesp CESP6 +23,66% 
Gafisa GFSA3 +23,64% 
Eletrobras PN ELET6 +22,41% 
Bradesco ON BBDC3 +20,91%
Bradesco PN BBDC4 +18,94% 
Copel CPLE6 +17,92% 
Marfrig MRFG3 +17,82% 
Itaúsa ITSA4 +17,66% 
Gol GOLL4 +16,83% 
Anhanguera AEDU3 +16,59% 
Cemig CMIG4 +16,41% 
Energias do Brasil ENBR3 +15,84% 
Itaú Unibanco ITUB4 +15,68% 
QualicorpQUAL3+15,29%
EletropauloELPL4+14,88%
PDG RealtyPDGR3+14,68%
Lojas AmericanasLAME4+13,95%
CetipCTIP3+13,89%
BR PropertiesBRPR3+13,28%
SantanderSANB11+13,03%
MRV EngenhariaMRVE3+12,98%
LightLIGT3+12,63%
CyrelaCYRE3+12,11%
ALLALLL3+12,06%
EvenEVEN3+11,80%
CPFL EnergiaCPFE3+10,86%
Klabin KLBN4 +10,68% 
Vale PN VALE5 +10,54% 
UsiminasUSIM5+10,29%
CosanCSAN3+10,20%
*Variação do fechamento do dia 18 de março até 2 de abril