Segundo Época

Na reta final da CPI do BNDES, sub-relator pede indiciamento de Lula

Em documento obtido pela Época, que será protocolado na quarta-feira, parlamentar afirma que há prova de ocorrência de cinco crimes envolvendo o ex-presidente petista

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O sub-relator da CPI do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) deputado Alexandre Baldy (PSDB-GO) sugeriu, em seu relatório final, o indiciamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, conforme informou o site da Época, após ter acesso ao documento que será protocolado nesta quarta-feira (24).

Segundo relatório, o parlamentar afirma que há ocorrência de cinco crimes envolvendo o ex-presidente: tráfico de influência, tráfico de influência em transação comercial internacional e lavagem de dinheiro, no período em que deixou o governo (de 2011 em diante); além de advocacia administrativa e corrupção passiva, supostamente praticados no exercício do cargo de presidente (entre 2003 e 2010).

Além do ex-presidente, Baldy também sugere o indiciamento por corrupção ativa e lavagem de dinheiro de José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente e preso pela Operação Lava Jato, e de Luciano Coutinho, presidente do BNDES.

Aprenda a investir na bolsa

O parlamentar protocolará o relatório após o relator da CPI, José Rocha (PR-PA) concluir na terça-feira a leitura de seu relatório final e deixar de fora qualquer pedido de indiciamento. Rocha começou a apresentar o relatório na semana passada, mas a leitura foi interrompida após quatro horas de sessão e retomada na terça. 

Em relatório, o sub-relator faz também menção à rejeição do requerimento de convocação do ex-presidente Lula por parlamentares da base do governo. Para ele, o ato teve como intenção “impedir que o ex-mandatário se manifestasse a respeito das suspeitas que pesam contra ele”. 

A comissão parlamentar de inquérito foi criada para apurar supostas irregularidades envolvendo empréstimos do BNDES entre os anos 2003 e 2015. Após duas prorrogações, o prazo final de funcionamento vai até quinta-feira (25).