Eleições EUA

Muito complicado? Entenda como funcionam as eleições primárias nos Estados Unidos

O InfoMoney montou um guia para que você possa acompanhar melhor como serão definidos os dois principais nomes que disputarão a presidência da maior economia do mundo

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Iniciado em fevereiro, o processo eleitoral nos Estados Unidos está ganhando força para a definição de quais serão os candidatos dos partidos republicano e democrata na eleição presidencial que ocorre em novembro. Porém, com diferenças estruturais, para muitos brasileiros acaba sendo muito complicado entender como são escolhidos cada candidato.

Por isso, o InfoMoney montou este guia para que você possa acompanhar melhor como serão definidos os dois principais nomes que disputarão a presidência da maior economia do mundo. Bastante parecido com o funcionamento das eleições principais que vão ocorrer no fim do ano, as primárias de cada partido seguem uma lógica dividida por estados e, dentro de cada um, nos chamados delegados.

Estes delegados são definidos por cada partido e os votos individuais de cada eleitor vão para eles, que acabam definindo a vitória ou derrota dos candidatos. No caso do partido republicano é preciso vencer em 1.237 delegados para ser declarado vencedor, enquanto no caso dos democratas este número é de 2.383. Veja abaixo o funcionamento das primárias nos EUA:

Tipos de votação

1) Caucus
O chamado Caucus nada mais é do que uma convenção partidária. Nele, os eleitores registrados pelos partidos em uma seção eleitoral se reúnem em um local determinado e os representantes de cada pré-candidato fazem um breve discurso, expondo seus pontos de vista. Os caucus são realizados em treze Estados e três territórios (Ilhas Samoa, Ilhas Mariana do Norte e Ilhas Virgens).

Nos caucus republicanos, o passo seguinte é a votação, que pode ser feita até com pedaços de papel. Os votos são contados e o porcentual de cada candidato equivale ao número de delegados da zona eleitoral que ele ganha.

Já os caucus democratas são um pouco mais complexos: após os discursos, os eleitores se dividem em grupos. Grupos pequenos demais são obrigados a se desfazer e seus integrantes a escolher outra opção. Em seguida, baseado no número de membros de cada grupo de apoio, define-se quantos delegados da zona eleitoral vão para cada candidato.

2) Primárias
As primárias funcionam como uma eleição convencional. Os eleitores utilizam cédulas para votar e podem inclusive escrever o nome de seu candidato preferido se ele não estiver na lista. Os votos são contados para definir o vencedor, mas a divisão dos delegados é feita de forma diferente pelos partidos Democrata e Republicano.

Para os democratas, o sistema é proporcional: se um candidato recebeu 40% dos votos, por exemplo, fica com 40% dos delegados da seção eleitoral. Já no lado republicano, o vencedor leva todos os delegados daquela seção.

PUBLICIDADE

Como são definidos os vencedores

Considerando estes dois tipos de processo, a cada nova votação os candidatos vão “colecionando” delegados até atingirem a quantidade necessária para ser declarado vencedor. Porém, isso não acontece assim que o valor é alcançado.

Para isso são realizadas as convenções nacionais, ocorrendo após o término das prévias e que este ano será em junho. É neste evento que os delegados acumulados nos caucus e primárias elegem o representante do partido para concorrer à presidência. Em geral, as convenções servem apenas para se fazer uma “festa” para a escolha do candidato, já que neste momento já se saberá quem venceu.

Por conta deste processo no próximo dia 1º de março é quando ocorre a já famosa “Super Terça”. Neste dia serão realizadas primárias em 15 estados, podendo praticamente definir o rumo destas “pré-eleições”, que têm como favoritos o candidato republicano Donald Trump e a democrata Hillary Clinton.