Radar Político

MPF pede arquivamento de inquérito sobre Lula; “lucro indevido de Cunha” e mais notícias

Último final de semana contou com mais adesões ao Rede Sustentabilidade, Dilma comentando sobre o dólar e CVM apontando para lucro indevido de Cunha

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O último final de semana foi novamente agitado para a política brasileira, com novidades sobre a Operação Lava Jato, falas de Dilma Rousseff sobre o dólar em Nova York e as movimentações de políticos após a criação do partido Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, estiveram no radar.

No início do final de semana, destaque para a notícia de que a Procuradoria da República no Distrito Federal decidiu pedir o arquivamento do inquérito instaurado para investigar suposto repasse da Portugal Telecom para o PT, segundo a assessoria de imprensa Ministério Público Federal no Distrito Federal.

A apuração começou em 2013 a partir de depoimento dado pelo publicitário Marcos Valério, preso por ter sido operador da Ação Penal 470, o chamado mensalão. Entre os suspeitos de terem participado do esquema de negociação do repasse está o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Aprenda a investir na bolsa

A partir do depoimento foram abertos dois inquéritos, um civil e um policial, para apurar o caso. Segundo a assessoria, a decisão do arquivamento foi tomada pelo procurador Frederico Paiva, do Núcleo de Combate à Corrupção, após a investigação policial concluir que não foi possível provar o depoimento de Valério.

Ambos inquéritos aguardam a homologação do arquivamento, o civil, na 5ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF, e o policial, na 10ª Vara da Justiça Federal, no DF.

Dilma fala de dólar
Depois de uma semana marcada por intensa volatilidade cambial, quando a cotação do dólar chegou a ultrapassar a fronteira dos R$ 4, a presidente Dilma Rousseff admitiu no sábado, em Nova York, que há grande preocupação a respeito da disparada do mercado de câmbio e disse que o governo está “pronto para agir”. Reforçando o discurso do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, Dilma afirmou que o País dispõe de reservas, atualmente de um pouco mais de US$ 370 bilhões, que também podem ser utilizadas para reequilibrar o mercado.

“A questão do dólar é algo que o Brasil hoje tem reservas suficientes para que nós não tenhamos nenhum problema em relação a nenhuma disruptura por conta do dólar. Estamos extremamente preocupados, porque há empresas endividadas em dólar”, disse Dilma, após participar de reunião com G-4, grupo formado por Alemanha, Japão, Índia e Brasil e que defende mudanças no Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU).

Indagada pelos jornalistas, após a entrevista em que discorreu sobre o atual problema mundial de segurança e o drama dos refugiados ao redor do mundo, a presidente reconheceu o problema do endividamento das empresas brasileiras. Sem considerar qualquer novo empréstimo que tenha sido tomado desde junho último, a escalada do dólar neste terceiro trimestre já representa uma elevação de 30% no endividamento das companhias.

CVM aponta que Cunha teve lucro indevido
A área técnica da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) apontou em relatório sigiloso de março passado que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) obteve um “lucro indevido” de R$ 900 mil por operações realizadas entre 2003 e 2006 com fundos de investimento movimentos pela Prece, fundo de pensão dos funcionários da Cedae. As informações são da Folha de S. Paulo

PUBLICIDADE

É a primeira vez que surge uma ligação direta entre Cunha e prejuízos ligados a um fundo de pensão ligado a sua área de influência no Rio de Janeiro – um dos ex-presidentes do Cedae foi afilhado político do deputado.

E há mais problemas para o presidente da Câmara: João Augusto Rezende Henriques, suposto operador do PMDB no esquema de corrupção na Petrobras, afirmou em depoimento que fez uma transferência ao exterior para uma conta do Cunha.

No sábado, ele defendeu que o PMDB concorra, nas próximas eleições, com candidatos próprios e deixe a parceria com o PT. “Time que não joga não tem torcida”, disse ao discursar na cerimônia de filiação da senadora Marta Suplicy, em São Paulo.

“O PMDB tem de ter candidatos em todos os municípios, tem de disputar todas as prefeituras, tem de ter candidato para todos os governos estaduais, fazer o maior número possível de governadores. O PMDB tem de ter candidato à Pesidência da República, não podemos mais ir a reboque de quem quer que seja”, afirmou.

Ao falar sobre a filiação de Marta Suplicy ao PMDB, Cunha disse que a senadora é bem-vinda e que a legenda deveria seguir o exemplo dela, e deixar o PT. “Marta, que sua presença possa aumentar e consolidar o PMDB em São Paulo e no Brasil. E não tenha dúvida, que o PMDB siga o teu exemplo, vamos largar o PT”, afirmou. “Chega de usar o PMDB apenas como parte de um processo para dar cobertura congressual para aquilo que a gente não participou”, acrescentou.

No evento, a senadora Marta Suplicy, demonstrou mágoa por ter deixado o partido. “Diante de relações conflituosas, sem a menor perspectiva de melhora, e que fere os nossos princípios, o melhor caminho a se tomar, por mais doído que seja, é o rompimento”, disse. Ela agradeceu e elogiou todas as lideranças presentes e disse que se sente acolhida. “Não tenho dúvidas que aqui é meu lugar”, afirmou.

Ato a favor do PT
Partidos políticos, centrais sindicais e entidades que formam a Frente Todos pela Democracia promoveram hoje (26) na Praça da Sé, no centro da capital paulista, um ato em defesa do PT, dos partidos de esquerda e dos movimentos sociais.

Esse ato é contra qualquer tentativa de golpe no nosso país e, principalmente, em defesa das políticas que têm mudado a vida de milhões de brasileiros. Nós agora temos de dar um basta a essa tentativa da direita de, mais uma vez na nossa história, querer chegar ao poder sem voto. Querer chegar ao poder pela via do golpe”, disse o presidente estadual do PT, Emídio de Souza.

PUBLICIDADE

Com o tema Primavera Democrática: Contra o Golpe e a Criminalização dos Movimentos, o ato ocupou praticamente toda a área em frente à catedral da Sé. A assessoria de imprensa da Polícia Militar disse que não tinha informações sobre o número exato de participantes.

A Frente #TodosPelaDemocracia foi lançada em dia 14 de julho em um ato que contou com a participação dos movimentos sociais, sindicais, juristas, artistas, intelectuais e líderes religiosos. Entre os partidos políticos que compõem o grupo estão PCdoB, PT, PCO e PDT.

Heloísa Helena e Randolfe Rodrigues saem do PSOL
A ex-senadora Heloísa Helena (AL) deixou o PSOL para se filiar à Rede Sustentabilidade, partido criado por Marina Silva e que obteve registro oficial do TSE nesta semana. Heloísa Helena entrou no PSOL em 2003 e, nos dois últimos anos, distanciou-se das lideranças do partido e, em março de 2013, ela sofreu suspensão preventiva da direção nacional do partido por ajudar Marina Silva na fundação da Rede.

Nos últimos dias, o senador Randolfe Rodrigues (AP) e o deputado federal Alessandro Molon (PT) anunciaram a saída de seus partidos, Psol e PT, respectivamente, para filiação à Rede. 

(Com Agência Estado e Agência Brasil)

Coloque seu email abaixo e receba o estudo completo das melhores e piores ações da Bolsa com o dólar acima de R$ 4,00: