Operação Eficiência

MPF denuncia Eike, Cabral e mais seis por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa

O inquérito será encaminhado à Justiça, que decidirá se aceita ou não a denúncia, e se os indiciados viram réus

SÃO PAULO – O MPF (Ministério Público Federal) no Rio de Janeiro denunciou o empresário Eike Batista e o ex-diretor de Futebol do Flamengo Flávio Godinho pelo crime de organização criminosa e o ex-governador Sérgio Cabral também por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. A denúncia é resultado das investigações da Operação Eficiência, um braço da Lava Jato no estado. Outras cinco pessoas também foram indiciadas, segundo o portal G1.

Cabral (PMDB-RJ), ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Carvalho, ex-secretário de Governo, Carlos Miranda e Luiz Bezerra, suspeitos de serem operadores do esquema, foram indicados por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Sérgio Oliveira e Francisco de Assis Neto, também suspeitos serem operadores do esquema, Álvaro Novis, doleiro, Thiago Pereira e Silva, ex-sócio de Adriana Ancelmo, mulher de Cabral, são acusados de lavagem de dinheiro e organização criminosa.

PUBLICIDADE

Susana Neves Cabral, ex-mulher de Cabral, suspeita de receber dinheiro de advindo do esquema de propina e, por isso, é acusada de lavagem de dinheiro.

Agora, o inquérito será encaminhado à Justiça, que decidirá se aceita ou não a denúncia. Em caso afirmativo, os indiciados viram réus e passam a responder a processo.