Ex-presidente

MP investiga se OAS buscou favorecer Lula no caso “triplex do Guarujá”, diz Folha

Lula e os familiares dele visitaram o apartamento durante a reforma, que teria custado R$ 700 mil, pagos pela construtora da OAS; família do ex-presidente desistiu de ficar com o triplex depois da publicação de reportagens sobre o imóvel

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo do último domingo, o Ministério Público de São Paulo investiga a relação entre a construtora OAS e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na reforma de um apartamento triplex na cidade do Guarujá, litoral paulista. Lula e os familiares dele visitaram o apartamento durante a reforma, que teria custado R$ 700 mil, pagos pela construtora da OAS.

Quer saber onde investir em 2016? Veja no Guia Especial InfoMoney clicando aqui!

Segundo o jornal, a Promotoria colheu depoimentos de engenheiros e funcionários do condomínio que apontam que apenas familiares de Lula estiveram no triplex durante as fases de construção e reforma do imóvel. As visitas envolveram medidas para esconder a presença do ex-presidente e parentes no condomínio. 

Aprenda a investir na bolsa

A família de Lula desistiu de ficar com o triplex depois da publicação de reportagens sobre o imóvel. Uma das visitas teria ocorrido em 2014 com o então presidente da empreiteira, Léo Pinheiro, que chegou a ser preso na Lava Jato.

Os detalhes da movimentação, afirma o jornal, foram concedidos por funcionários da OAS, do imóvel e de empresas contratadas para realizar a reforma. A assessoria do ex-presidente e da empreiteira negaram  irregularidades, mas não se manifestaram sobre o conteúdo dos depoimentos. A assessoria de Lula informou que a ex-primeira-dama Marisa Letícia chegou a visitar o empreendimento algumas vezes, mas o imóvel nunca foi adquirido.