Guerra

Mourão diz que Brasil já se colocou contra invasão da Ucrânia e defende uso da força para conter Rússia

Segundo o vice-presidente, sem uma resposta significativa da comunidade internacional, com o uso da força, o presidente russo não irá parar na Ucrânia

Por  Reuters -

BRASÍLIA (Reuters) – O vice-presidente Hamilton Mourão defendeu nesta quinta-feira o uso da força para conter a invasão russa da Ucrânia e afirmou que o Brasil já se colocou contra o ataque ao defender, na Organização das Nações Unidas, os princípios de não intervenção e soberania das nações.

“Brasil não está neutro. O Brasil deixou claro que respeita a soberania da Ucrânia, então Brasil não concorda com uma invasão”, disse Mourão.

O vice-presidente fez um paralelo entre presidente russo, Vladimir Putin, e o ditador da Alemanha nazista Adolf Hitler e afirmou que a comunidade internacional age como em 1938, com tentativas de apaziguamento. “Putin não respeita apaziguamento”, disse.

Leia mais:

Segundo Mourão, sem uma resposta significativa da comunidade internacional, com o uso da força, o presidente russo não irá parar na Ucrânia e irá voltar os olhos para os demais países que fizeram parte da União Soviética.

“Se não houver uma ação significativa o sistema internacional pode ser rachado e vamos voltar para o tempo das cavernas, onde cada um faz o que quer e não há respeito entre os povos”, afirmou.

“O conceito de cidadania se dissolve a partir do momento em que um Estado mais forte julga que pode meter a mão em um Estado mais fraco e continuar tudo como antes.”

O vice-presidente disse que, em sua visão, as sanções econômicas pura e simples não funcionam, e citou casos do Iraque e do Irã que vivem há anos sob sanções.

Mourão afirmou ainda que o governo brasileiro precisa esperar o que deverá sair das reuniões do Conselho de Segurança da ONU e, por enquanto, não pode fazer nada a mais além de se manifestar contrário à invasão.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe