Lava Jato

Moro solta ex-secretário do PT e mantém preso dono do jornal Diário do Grande ABC

Sílvio e Ronan são suspeitos de lavarem R$ 6 milhões de um total de R$ 12 milhões desviados via empréstimo fraudulento no Banco Schahin

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O juiz Sergio Moro mandou, na noite desta terça-feira (5), soltar o ex-secretário-geral do PT Sílvio Pereira, enquanto decidiu manter preso o empresário dono do jornal Diário do Grande ABC, Ronan Maria Pinto. Os dois estavam detidos temporariamente em Curitiba, desde que foi deflagrada a 27ª fase das investigações, batizada de Carbono 14, na última sexta-feira (1).

O advogado do ex-petista, Romero Ferraz Filho, confirmou a informação ao jornal Folha de S. Paulo. “A justiça foi feita”, disse. “Não havia requisitos para a prisão temporária nem para a preventiva. Estão usando argumentos do mensalão, de 2007. Silvinho já teve a punibilidade extinta”, completou Romero.

Sílvio e Ronan são suspeitos de lavarem R$ 6 milhões de um total de R$ 12 milhões desviados via empréstimo fraudulento no Banco Schahin. O Ministério Público Federal havia pedido a conversão das prisões temporárias dos dois alvos, que vencia hoje, em preventiva (sem prazo).

PUBLICIDADE

“Defiro parcialmente o requerido e decreto, com base no artigo 312 do CPP e em vista dos riscos à investigação, à instrução criminal e à ordem pública, a prisão preventiva de Ronan Maria Pinto, com as qualificações apontadas pelo MPF”, afirmou Moro.

“Quanto à Sílvio José Pereira, reputo ausentes os pressupostos suficientes para a decretação da prisão preventiva. Como adiantado, a sua participação na solicitação do aludido empréstimo por ora foi afirmada apenas pelo condenado Marcos Valério, o que é insuficiente para medida tão drástica”, informou Moro na decisão.

“Quanto aos pagamentos efetuados a ele e a empresas deles por empreiteiras envolvidas no esquema criminoso da Petrobrás, sem embargo dos argumentos do MPF, entendo que ainda é necessário aprofundamento das investigações antes das conclusões”, afirma o juiz.