Lava Jato

Moro manda investigar e-mail que pedia R$ 700 mil para soltar Bendine

Ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil está preso desde 27 de julho

SÃO PAULO – O juiz federal Sérgio Moro determinou que a Polícia Federal investigue a origem de um e-mail enviado à filha de Aldemir Bendine, ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil, preso desde 27 de julho pela 42ª fase da Operação Lava Jato. O executivo é suspeito de ter recebido R$ 3 milhões em propina da Odebrecht por suposto favorecimento.

Na mensagem, anexada ao inquérito pelos advogados do ex-presidente das companhias estatais, uma pessoa que assina com o nome de Bendine pede que a filha (Amanda) deposite R$ 700 mil, em uma conta bancária, recursos que seriam usados em suposta compra de habeas corpus junto ao Supremo Tribunal Federal.

O remetente ainda informou a Amanda Bendine a conta em que os recursos deveriam ser depositados e pede que seu advogado só seja procurado após o pagamento.

PUBLICIDADE

A decisão de Moro atende a pedido da defesa de Bendine. Na avaliação da Polícia Federal, não haveria elementos para que a Justiça Federal cuidasse do caso.