Combate à corrupção

Moro diz que Lava Jato é “quase” unanimidade e que críticas são fruto de desinformação

Moro afirmou que os brasileiros “percebem cada vez mais intensamente“ a importância de valores democráticos e considera que a Lava Jato contribui nesse sentido

SÃO PAULO – O juiz Sérgio Moro considera que o apoio popular é um fator importante para o fortalecimento da Operação Lava Jato e que muitas das críticas à atuação da força-tarefa são fruto de “informações equivocadas”. Segundo ele, o combate à corrupção trará reflexos positivos para o País. “Eu vejo a operação, como já disse mais de uma vez, como uma oportunidade para o fortalecimento da democracia e do Estado de Direito no Brasil”, afirmou em entrevista exclusiva à revista “Problemas Brasileiros”.

O juiz ressaltou que provas e não a opinião pública são levadas em consideração na hora de condenar ou absolver um réu, mas pontuou que o apoio popular é importante para impedir possíveis tentativas de obstrução da Justiça. “Esse suporte majoritário da população brasileira, quase integral, tem sido um diferencial”, afirmou.

Ele, no entanto, reconhece que existem críticas à condução dos trabalhos, mas considera que “isso é resultado de má informação”. Segundo ele, são divulgadas declarações falsas e existe a tentativa de partidarizar a operação. “Infelizmente algumas pessoas são convencidas a esse respeito. Não que elas não sejam favoráveis à democracia e ao Estado de Direito, mas (a meu ver) produto de informações equivocadas”.

PUBLICIDADE

Na avaliação do magistrado, os brasileiros “percebem cada vez mais intensamente” a importância de valores democráticos e considera que a Lava Jato contribui nesse sentido. “(O caso da Lava Jato) Dá oportunidade para que o Brasil cresça institucionalmente com base nele. Não só esse caso, vários, isso não é algo sozinho”, disse, citando como exemplo o processo do Mensalão.

Segundo Moro, existem atualmente outras investigações relevantes espalhadas pelo País. “Então é uma oportunidade para o Brasil enfrentar, de uma forma séria, a corrupção sistêmica e, quem sabe, conseguir sair dela”, projetou. Ao opinar sobre o futuro do País, o juiz afirmou que “o Brasil tem muito jeito” e que o enfrentamento da corrupção deveria ser um motivo de orgulho.