Lava Jato

Moro critica argumento de Dilma contra delatores: “ofensa ao STF”

"Não há como esse Juízo ou qualquer Corte de Justiça considerar argumentos da espécie com seriedade", escreveu o juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, encarregado dos processos da Operação Lava Jato

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As inflamadas declarações da presidente Dilma Rousseff contra supostos “movimentos golpistas” ao seu governo e os resultados parciais dos vazamentos ou divulgações oficiais de parte do conteúdo de delações premiadas sobre a Operação Lava Jato provocou uma reação do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. Conforme informou o jornal O Globo na manhã desta sexta-feira (10), sem se referir diretamente à presidente, Moro avaliou como ofensivos ao Supremo Tribunal Federal as comparações entre “prisão cautelar” e “tortura” ou “criminosos colaboradores” a “traidores da pátria”.

“Não há como esse Juízo ou qualquer Corte de Justiça considerar argumentos da espécie com seriedade. São eles, aliás, ofensivos ao Egrégio Supremo Tribunal Federal, que homologou os principais acordos de colaboração, certificando-se previamente da validade dos pactos e da voluntariedade dos colaboradores”, escreveu Moro, encarregado dos processos da Operação Lava Jato.

A declaração do juiz foi feita após Dilma comentar que não confia em nenhum delator, quando questionada sobre o depoimento do dono da UTC, Ricardo Pessoa. O depoimento da presidente, dado durante viagem diplomática aos Estados Unidos, mencionou o histórico personagem Joaquim Silvério dos Reis, delator da Inconfidência Mineira, e até sua resistência durante o Regime Militar. “Estive presa na ditadura e sei o que é. Tentaram me transformar em uma delatora. E eu garanto para vocês que resisti bravamente”, afirmou Dilma na ocasião.

Aprenda a investir na bolsa