Delação premiada

Moro apura vazamento de depoimento de Marcelo Odebrecht; executivo cita Lula e Palocci

"Houve notícia de que alguém teria quebrado sigilo do interrogatório, e o magistrado ficou de apurar esse fato", informou o advogado do empresário

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Ocorreu na tarde desta segunda-feira (10) o primeiro depoimento de Marcelo Odebrecht após fechar delação premiada. Porém, o que acabou marcando o evento foi um possível vazamento das declarações do executivo enquanto ele falava, fato que será apurado pelo juiz federal Sergio Moro.

“Houve notícia de que alguém teria quebrado sigilo do interrogatório, e o magistrado ficou de apurar esse fato”, informou o advogado do empresário, Nabor Bulhões, em rápida entrevista após o fim do depoimento, que começou pouco depois das 14h e se estendeu até 16h30 (horário de Brasília).

Como o conteúdo das delações premiadas firmadas pelos 78 executivos da Odebrecht ainda é sigiloso, por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), o depoimento do empreiteiro também está sob segredo de Justiça. Porém, um site divulgou as falas do executivo em “tempo real”.

Aprenda a investir na bolsa

Mais tarde, a Folha de S. Paulo divulgou informações sobre o que teria dito Marcelo Odebrecht nesta tarde. Segundo a publicação, ele reafirmou que o ex-ministro Antonio Palocci era o “Italiano” apontado em planilha de repasses de propina da empresa.

O executivo ainda confirmou que o ex-presidente Lula tinha o apelido de “amigo” em suas anotações, e mencionou o ex-ministro Guido Mantega, que apontou como sendo o “pós-Itália” na planilha apreendida pela PF. Palocci, segundo ele, era o principal interlocutor da empresa no governo de Lula.