Morales acredita que diálogo vai resolver a questão das refinarias da Petrobras

Mas, se a brasileira recorrer aos órgãos internacionais, a Bolívia poderá alegar que empresa não tem esse direito

SÃO PAULO – A questão das refinarias da Petrobras na Bolívia segue em pauta e, a despeito da reação da brasileira, que ameaçou recorrer à arbitragem internacional, Evo Morales acredita no entendimento entre a empresa e seu país.

Em todo caso, se a Petrobras decidir recorrer à arbitragem internacional, a Bolívia deverá alegar que a empresa não tem esse direito, já que nem ela nem o Brasil tem acordos deste nível com La Paz ou participam do Ciad, Centro Internacional para Arbitragem de Disputa sobre Investimento.

Bolívia pode questionar direitos da Petrobras

A Petrobras Bolívia tem sede oficial no Holanda, que por sua vez tem acordo de proteção de investimentos com La Paz. Mesmo neste caso, a Bolívia poderia demandar provas de que o dinheiro investido na Bolívia é holandês e não do Brasil.

PUBLICIDADE

Apesar dos comentários mais amenos de Morales, o presidente Lula decidiu que a Petrobras e todos os outros órgãos do Governo não poderão fechar novos negócios com a Bolívia e que os convênios já assinado ficarão congelados até que as questão com a Petrobras tenha um desfecho.