Mongólia cancela licitação de mina de carvão assediada pela Vale

Participação no projeto Tavan Tolgoi era avaliada em US$ 2 bilhões; além de Vale, mineradoras como BHP Biliton disputavam mina

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O governo da Mongólia cancelou a concorrência iniciada há mais de um ano para a obtenção de até 49% da mina Tavan Tolgoi – um dos maiores depósitos não desenvolvidos de carvão do mundo. O fato acabou com as esperanças de grandes mineradoras, dentre elas a Vale, de conseguirem uma fatia na participação.

Segundo notícia veiculada pela agência Reuters, três fontes próximas ao assunto afirmaram que o JPMorgan e o Deutsche Bank, que haviam sido contratados pelo governo do país, já não estão prestando consultoria nas negociações. Ambas as instituições informaram que não comentariam. 

Demais interessados
Além da Vale, outras gigantes do setor também faziam parte da licitação. São elas a australiana BHP Billiton, a indiana Jindal, a norte-americana Peabody e a chinesa Shenhua. Além das companhias, o negócio também atraiu interesse de consórcios do Japão, Rússia e de empresas coreanas. 

Aprenda a investir na bolsa

Vale ressaltar que a mina em questão, normalmente chamada de o maior depósito global de carvão para coqueificação não utilizado, possui reservas de cerca de 6,5 bilhões de toneladas.