Sobre protestos

Ministros falam sobre protestos e prometem medidas contra corrupção; panelaços se repetem

José Eduardo Cardozo e Miguel Rossetto deram entrevista coletiva após as manifestações anti-Dilma neste domingo

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência, deram entrevista coletiva após as manifestações anti-Dilma neste domingo (15). E os panelaços voltaram a acontecer durante a coletiva, em cidades como Recife, São Paulo, Rio de Janeiro, além do Distrito Federal, uma semana após o pronunciamento da presidente do Dia da Mulher, que levou a manifestações contra a presidente. 

Durante a entrevista, Cardozo afirmou que as manifestações, que segundo informações da Polícia Militar chegaram a reunir mais de 1 milhão de pessoas, confirmam que o Brasil vive em um estado democrático e muito longe de alternativas golpistas.

“O Brasil assistiu hoje manifestações que foram realizadas dentro da ordem democrática, dentro dos padrões de legalidade”, disse Cardozo. “Importante observar que o governo está atento e quer ouvir as vozes das ruas”. O ministro da Justiça afirmou ainda que o governo respeito o diálogo e as divergências e que vai anunciar nos próximos dias um conjunto de medida de combate à corrupção. “É necessário mudança do sistema político e eleitoral através de uma ampla reforma aberta ao diálogo”, afirmou.

PUBLICIDADE

Já Rossetto disse que o governo adotará medidas para arrumar as contas públicas rapidamente e retomar o crescimento do Brasil, atribuindo o baixo crescimento também à economia mundial e a seca no Brasil. “Participamos da economia mundial cada vez mais, e infelizmente este mau desempenho afeta a economia brasileira. Por outro lado, segue de forma persistente uma das maiores secas do País, que impacta a produção de alimentos e de geração e o custo de energia elétrica.”

“Nós chegamos a limites. O que estamos buscando fazer, da forma mais adequada possível, é uma recomposição de receitas e gastos de forma que possamos entrar em 2015 com contas acertadas e equilibradas. E a maior parte desses ajustes é redução dos gastos, principalmente da máquina pública, preservando os programas sociais”, afirmou Rossetto.

Ele ainda afirmou que “encerramos 2014 com altíssimas taxas de desemprego, mas infelizmente com crescimento abaixo do esperado. O governo nos últimos anos se utilizou de todos os instrumentos de políticas econômicas para preservar padrões. Fato é que conjunturas internacionais não proporcionam condições favoráveis ao crescimento e recuperação econômica.”

Rossetto ainda afirmou que o que aparece com muita força nos protestos é o combate à corrupção e que é claro que o “Executivo a combate desde sempre”.

Ao ser perguntado sobre o panelaço, Cardozo afirmou que esta é uma manifestação democrática e que “não é porque é contra ou crítica que não irão respeitá-la”.