Entrevista à Folha

Ministro defende que também se investigue corrupção na Petrobras durante governo FHC

José Eduardo Cardozo defendeu que a investigação sobre as denúncias de corrupção na Petrobras também se estendam ao governo de Fernando Henrique Cardoso, baseando-se em depoimento de Pedro Barusco de que receberia propina desde 1997

SÃO PAULO – Após falar que quem está pedindo o impeachment da presidente Dilma Rousseff tem problemas psicológicos, o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo saiu novamente em defesa do governo. 

Hoje, em entrevista à Folha de S. Paulo, o ministro defendeu que a investigação sobre as denúncias de corrupção na Petrobras (PETR3;PETR4) também se estendam ao governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

O ministro negou que esteja se manifestando a favor de sua sigla e contra o PSDB: “Não é o PSDB, são todos os fatos narrados. Determinei à PF que esclareça as indagações do PT tomando todas as providências cabíveis ao caso”. 

PUBLICIDADE

Ontem, integrantes da base aliada do governo Dilma Rousseff afirmaram que pretendem apresentar na Câmara um pedido para que as investigações da CPI da Petrobras se ampliem para o período do governo de Fernando Henrique Cardoso. 

Isso baseado em depoimento prestado à Polícia Federal no dia 21 de novembro de 2014 pelo ex-gerente-executivo da Petrobras Pedro Barusco, que diz receber propina desde 1997. 

“Já está pronto. Temos assinaturas suficientes para estender a CPI da Petrobras para o período de Fernando Henrique. Na instalação da CPI vamos apresentar o pedido do adendo”, afirmou o líder do PT na Câmara, Sibá Machado (AC), ao jornal O Estado de S. Paulo. 

“Não queremos que essa CPI tome de conta do plenário. A oposição tem que entender que não vai parar o País por conta dessa CPI, não vamos topar. Vamos fazer da CPI o que ela é obrigada a fazer, mas não fazer dela uma contaminação para dentro do plenário”, ressaltou Sibá.