Ministro da Justiça nega conflitos quanto à entrada de espanhóis no Brasil

Tarso Genro afirma que apesar de não haver atritos entre os países, a entrada dos imigrantes deveria ser mais fiscalizada

SÃO PAULO – Após a deportação de sete jovens espanhóis em Salvador (BA), o ministro da justiça Tarso Genro negou que haja conflitos no relacionamento com a Espanha, porém sinalizou que a entrada de espanhóis no país deveria ser mais fiscalizada.

Tarso explicou que o controle de entrada de imigrantes no país é feito por amostragem, e que o aumento da mesma pode ocorrer de maneira tranqüila, por meio de negociações. Entretanto, ressaltou que o tratamento dos brasileiros na Espanha, da mesma maneira, deverá ser digno e respeitoso.

Por fim, Tarso considerou positiva para as relações entre os países a reeleição de José Rodrigues Zapatero, e afirmou que sua relação com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é excelente há muitos anos, o que favorece a relação do Brasil também com a União Européia.

Origem

PUBLICIDADE

Os atritos entre Brasil e Espanha se devem, sobretudo, à política de imigração espanhola, onde mais de dez brasileiros por dia são impedidos de entrar no país, tendo que aguardar a liberação nos aeroportos.

O principal exemplo disso foi a retenção de dois jovens mestrandos brasileiros na ultima quarta-feira (5) no aeroporto de Madri (Espanha). O caso teve destaque, pois estudantes afirmaram que foram impedidos de se alimentar ou telefonar.