De saída

Bolsonaro pede que ministro da Defesa entregue o cargo; Azevedo e Silva anuncia saída do governo em nota

"Saio na certeza da missão cumprida", afirmou o ministro demissionário

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, informou em nota nesta segunda-feira (29) que deixará o cargo. “Saio na certeza da missão cumprida”, afirmou. “Agradeço ao presidente da República, a quem dediquei total lealdade ao longo desses mais de dois anos, a oportunidade de ter servido ao país, como Ministro de Estado da Defesa. Nesse período, preservei as Forças Armadas como instituições de Estado”, destacou em nota.

O comunicado não informou o motivo da decisão. Azevedo e Silva foi anunciado como ministro ainda durante a transição de governo, em 2018. Azevedo e Silva foi o segundo militar a comandar o Ministério desde que a pasta foi criada, em 1999. O primeiro militar a ocupar o posto foi o general Joaquim Silva e Luna, indicado por Michel Temer.

De acordo com a Reuters, o presidente Jair Bolsonaro pediu o cargo do ministro em um movimento que deve dar início a uma reforma ministerial que inclui mudanças na Casa Civil e na articulação política do governo. De acordo com duas fontes ouvidas pela agência, o presidente decidiu pedir o cargo de Azevedo e Silva, em uma rápida reunião no início da tarde desta segunda.

Vale ressaltar que, também nesta segunda-feira, diversos veículos de mídia destacam que, pressionado pelo Congresso, Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores, também pediu sua demissão do cargo ao presidente Bolsonaro.

De acordo com uma fonte palaciana ouvida pela Reuters, o atual ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto deve assumir a Defesa. Já a Casa Civil poderá ir para Luiz Eduardo Ramos, atual ministro da Secretaria de Governo, enquanto esse cargo, que faz a articulação política do governo, poderia ir para as mãos de um parlamentar do centrão.

A demissão de Azevedo e Silva pegou parlamentares e mesmo ministros de surpresa. A saída do ministro, no entanto, não é fato isolado e é o início de uma reforma ministerial mais ampla, decidida nas últimas horas por Bolsonaro.

Ao sair de um encontro com Bolsonaro e a bancada de Santa Catarina, o senador Jorginho Mello (PL-SC) disse a jornalistas que o presidente havia dito a eles que trocas ministeriais seriam anunciadas ainda nesta segunda.

“Ele falou que vai fazer uma trocas até hoje à noite e nós vamos ficar sabendo em breve”, disse o senador.

Confira abaixo a íntegra do comunicado comunicando a demissão de Fernando Azevedo e Silva:

PUBLICIDADE

Nota Oficial

Agradeço ao Presidente da República, a quem dediquei total lealdade ao longo desses mais de dois anos, a oportunidade de ter servido ao País, como Ministro de Estado da Defesa.

Nesse período, preservei as Forças Armadas como instituições de Estado.

O meu reconhecimento e gratidão aos Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, e suas respectivas forças, que nunca mediram esforços para atender às necessidades e emergências da população brasileira.

Saio na certeza da missão cumprida.

Fernando Azevedo e Silva

(com Reuters)

Receba o Barômetro do Poder e tenha acesso exclusivo às expectativas dos principais analistas de risco político do país
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.