Ministro afirma que eleições não deverão atrapalhar oferta de ações da Petrobras

Márcio Zimmermann, de Minas e Energia, acredita que eleição não irá prejudicar planos da empresa, que foram adiados para setembro

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Apesar da Petrobras (PETR3PETR4) ter adiado sua proposta de oferta de ações, colocando o novo prazo em setembro -período bem próximo das eleições brasileiras -, o ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, acredita que o processo eleitoral do País não deverá atrapalhar os planos de capitalização da petrolífera, segundo informações da agência Bloomberg.

Em entrevista realizada em seu gabinete nesta quinta-feira (1), Zimmermann foi enfático ao ser questionado sobre os possíveis percalços que as eleições poderão criar para o desenrolar dos projetos da petrolífera. “O Brasil não pode parar por causa das eleições”, disse o ministro. “Isso não é brincadeira”.

Vale lembrar que, no último dia 22, após ter seu aumento de capital aprovado em AGE, a Petrobras decidiu adiar sua oferta pública de ações, projetando que ela ocorra por volta do mês de setembro. Segundo a companhia, a decisão, que foi tomada por conta do processo de avaliação do valor da cessão onerosa por parte da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) estar em fase final.

Aprenda a investir na bolsa

Contudo, a petrolífera planeja assinar o acordo de exploração das reservas do pré-sal até o final de agosto. “É uma correria grande, mas é possível”, disse Zimmermann.