AO VIVO Fundador da Chili Beans fala sobre a gestão de crise da empresa na pandemia; assista

Fundador da Chili Beans fala sobre a gestão de crise da empresa na pandemia; assista

Ministério Público deve investigar empresas do vice-governador do DF

Irregularidades na construção de um shopping em Brasília teria causado prejuízo de R$ 27 milhões ao Funcef e à CEF

SÃO PAULO – O procurador da República Carlos Henrique Martins Lima propôs cinco ações cíveis na Justiça Federal contra duas empresas do vice-governador do DF (Distrito Federal), Paulo Octávio, e dois ex-diretores do Funcef, o fundo de pensão dos funcionários da CEF (Caixa Econômica Federal).

Segundo as denúncias, irregularidades na construção do Brasília Shopping, na capital do País, teriam causado prejuízo de R$ 27 milhões ao Funcef e à Caixa, dinheiro que será devolvido caso as ações sejam julgadas procedentes, aponta a Agência Brasil.

As companhias responsáveis pela construção do shopping são Paulo Octávio Investimentos Imobiliários e a Principal Empreendimentos Imobiliários e Construções. Os diretores envolvidos são Sergio Nunes da Silva e José Carlos Baborsa de Moraes.

PUBLICIDADE

Caixa de Pandora
O vice-governador também é um dos acusados de envolvimento em um suposto esquema de pagamento de propinas a deputados distritais do DF, na operação batizada de Caixa de Pandora.

Nesta segunda-feira (11), os deputados discutiram a formação dos colegiados da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Corrupção e da Comissão Especial que analisará os pedidos de impeachment contra José Roberto Arruda, o governador do Distrito.

Os deputados distritais serão maioria nas duas comissões, além do governador também contar com aliados em maior número do que oposicionistas na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), que julgará a constitucionalidade dos pedidos de impeachment e dos processos disciplinares contra 10 parlamentares.