STOCK PICKERS Pedro Chermont e Hulisses Dias falam sobre as lições de Warren Buffett que podemos aplicar nesta crise; assista

Pedro Chermont e Hulisses Dias falam sobre as lições de Warren Buffett que podemos aplicar nesta crise; assista

Justiça

Ministério Público denuncia Sérgio Cabral por mais 184 crimes de lavagem de dinheiro

Ele já é réu por crime de evasão de divisas, dois de lavagem de dinheiro e dois de corrupção

SÃO PAULO – O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF-RJ) denunciou à 7ª Vara Federal o ex-governador Sérgio Cabral por 184 crimes de lavagem de dinheiro, como consequência das investigações da Operação Eficiência, realizada no escopo das investigações da Força-Tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro. Ele já é réu por crime de evasão de divisas, dois de lavagem de dinheiro e dois de corrupção.

Além de Se´rgio Cabral, tambe´m foram denunciados por crimes de lavagem de dinheiro: Carlos Miranda (147 crimes), Carlos Bezerra (97 crimes), Se´rgio Castro de Oliveira (6 crimes), Ary Ferreira da Costa Filho (2 crimes), Adriana Ancelmo (7 crimes), Thiago de Araga~o Gonc¸alves (7 crimes), Francisco de Assis Neto (29 crimes), A´lvaro Jose´ Galliez Novis (32 crimes). Se´rgio de Oliveira, Thiago de Araga~o, Francisco de Assis e A´lvaro Novis foram denunciados por integrarem a organizac¸a~o criminosa liderada pelo ex-governador.

A denu´ncia revela ainda “fatos criminosos de dois colaboradores, doleiros que faziam parte da organização como operadores financeiros”. “Os doleiros recebiam dos demais denunciados dinheiro em espécie oriundo dos crimes de corrupção praticados, custodiavam tais recursos em seu escritório e os distribuíam posteriormente para pagamentos de despesas em favor dos membros do grupo criminoso”, diz a nova denúncia.

PUBLICIDADE

Cabral está preso desde novembro, quando foi deflagrada a Operação Calicute, um desdobramento da Lava Jato. Na segunda-feira, ele passou mal no Complexo Penitenciário de Gericinó e foi levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Dr. Hamilton Agostinho de Castro Vieira, localizada no complexo. Após realização de exames, foi liberado e voltou à cela.