Ministério da Fazenda retira mercado interbancário de câmbio do IOF

Mercado "parou" na sessão à espera de informações sobre o imposto; decisão do governo traz alívio para exportadores

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Nesta sexta-feira (4), o Ministério da Fazenda decidiu excluir da incidência do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) as operações de câmbio, fato que agradou os exportadores.

De acordo com o governo, “a medida alcançará as operações contratadas a partir do dia 3 de janeiro de 2008”. Para analistas, com as antigas diretrizes do imposto, para cada operação interbancária seriam pagos até 3,8% para o governo.

Tal quantia seria suficiente para travar o mercado interbancário de câmbio e aumentar significativamente os custos no mercado primário, que acabariam recaindo no exportador.

Opção ao fim da CPMF

PUBLICIDADE

A elevação do IOF é uma das medidas tomadas pelo governo na quarta-feira para contornar os prejuízos originados com o fim da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira).

As dúvidas que existiam em torno do imposto eram tamanhas que reduziram em cerca de 94% o volume do mercado interbancário de câmbio desta sessão.