Após saída do ministro da Defesa

Ministério da Defesa comunica saída dos comandantes das três Forças Armadas: Exército, Marinha e Aeronáutica

O anúncio acontece um dia após a saída de Fernando Azevedo e Silva do ministério da Defesa

arrow_forwardMais sobre
(Wikicommons)

O Ministério da Defesa comunicou nesta terça-feira (30) que os comandantes das três Forças Armadas serão substituídos: são eles Edson Pujol (Exército), Ilques Barbosa (Marinha) e Antônio Carlos Moretti Bermudez (Aeronáutica).

O ministério não informou o motivo da saída dos três nem anunciou quem serão os substitutos. O anúncio acontece um dia após a saída de Fernando Azevedo e Silva do ministério da Defesa, cargo este ocupado agora pelo general da reserva Walter Souza Braga Netto, até então ministro da Casa Civil.

Nesta terça, Pujol, Barbosa e Bermudez chegaram a se reunir com Braga Netto, em Brasília. É a primeira vez desde 1985 que os comandantes das três Forças Armadas deixam o cargo ao mesmo tempo sem ser em troca de governo.

Pujol, Bermudez e Barbosa se reuniram na noite de segunda-feira e a intenção inicial era de que os três entregassem os cargos, mas havia uma expectativa de que apenas Pujol, que tivera atritos com o presidente Jair Bolsonaro, saísse de fato.

Mais cedo, jornais como a Folha de S. Paulo já destacavam que os comandantes tinham decidido colocar seus cargos à disposição do novo ministro da Defesa, indicando a intenção de acompanhar a saída de Azevedo e Silva do comando do Ministério.

Ainda segundo o jornal, um interlocutor do general Azevedo e Silva afirmou que a relação com o presidente chegou ao limite na semana passada, após Bolsonaro voltar a insinuar que queria apoio para aplicar medidas de exceção, como o estado de defesa, em unidades da federação que aplicam lockdowns contra a pandemia. Isso daria ao governo o poder de usar medidas coercitivias como restringir o direito ao sigilo de comunicação, ocupar e usar bens e serviços públicos e vetar reuniões.

Segundo a Folha, a relação já estava desgastada devido ao que um aliado do presidente qualificou como falta de apoio político das Forças Armadas, apesar de Bolsonaro ter trabalhado para manter benesses à categoria mesmo com a reforma previdenciária e administrativa, e ter mantido investimentos nos programas bélicos.

Confira na íntegra a nota do Ministério da Defesa:

Ministério da Defesa

PUBLICIDADE

Centro de Comunicação Social da Defesa

Nota oficial

Brasília, DF

Em 30 de março de 2021

O Ministério da Defesa (MD) informa que os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica serão substituídos.

A decisão foi comunicada em reunião realizada nesta terça-feira (30), com presença do Ministro da Defesa nomeado, Braga Netto, do ex-ministro, Fernando Azevedo, e dos Comandantes das Forças

Receba o Barômetro do Poder e tenha acesso exclusivo às expectativas dos principais analistas de risco político do país
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.