Debate

Militares mostram apoio a comandante do exército após polêmica: “tenho a espada ao lado e aguardo suas ordens”

O general José Luiz Dias Freitas disse que Villa Bôas "mais uma vez" expressa "preocupações e anseios dos cidadãos brasileiros que vestem fardas"

arrow_forwardMais sobre
(Wikicommons)

SÃO PAULO – Diversos militares passaram a se expressar nas redes sociais após a fala general-comandante Eduardo Villas Bôas se mostrando contrário à impunidade e dizendo que o Exército “se mantém atento às suas missões institucionais”.

Uma das principais declarações foi a do general Paulo Chagas, que também é pré-candidato ao governo do Distrito Federal. Pelo Twitter, ele prestou continência ao comandante afirmou que tem “a espada ao lado, a sela equipada, o cavalo trabalhado e aguardo suas ordens”.

Já o general José Luiz Dias Freitas, Comandante Militar do Oeste, disse que Villa Bôas “mais uma vez” expressa “preocupações e anseios dos cidadãos brasileiros que vestem fardas”. O General Antonio Miotto, do Comando Militar do Sul, por sua vez, se disse leal ao general. “Brasil acima de tudo!!! Aço!!!”, afirmou pelo Twitter.

PUBLICIDADE

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Na noite de terça-feira, pelo Twitter, Villas Bôas fez duas postagens: “Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?” e “Asseguro à que o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à Democracia, bem como se mantém atento às suas missões institucionais”.

A reação foi mista, com muitas pessoas apoiando a fala do general, enquanto outras fizeram duras críticas por conta do posicionamento do Exército em relação a eventos que têm mobilizado o país. Nesta quarta, o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato, também se expressou, dizendo que o que menos se precisa neste momento é “tentar impor nossa vontade“.