Governabilidade

Michel Temer e José Serra já preparam dobradinha: tucano estaria cotado para Fazenda, diz Folha

A estratégia de Serra seria, a partir de uma das pastas mais importantes do Executivo, lançar-se candidato à presidência em 2018 - por um dos dois partidos - tal como fez Fernando Henrique Cardoso

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Com o agravar da crise política que envolve o governo Dilma Rousseff, que atingiu seu mais baixo nível de popularidade de acordo com pesquisa Datafolha divulgada hoje, o vice-presidente da República Michel Temer já estaria se aproximando do senador José Serra (PSDB-SP) para uma possível aliança em prol de governabilidade futura. As informações são da colunista da Folha de S. Paulo Mônica Bergamo, que diz que o peemedebista estaria procurando desafetos do tucano para ajudá-lo a construir pontes no universo político, ao passo que o ex-governador de São Paulo auxiliaria Temer a aparar as arestas no Senado.

De acordo com a jornalista, a aliança estaria chamando atenção tanto no PMDB quanto no PSDB e é entendida como um investimento. Em caso de impeachment de Dilma, o tucano se transformaria em ministro da Fazenda, o que poderia favorecer a governabilidade do governo com o apoio de parcela do PSDB. A estratégia de Serra seria, a partir de uma das pastas mais importantes do Executivo, lançar-se candidato à presidência em 2018 – por um dos dois partidos -, tal como fez Fernando Henrique Cardoso, que foi o chefe da Fazenda durante o Plano Real, na gestão de Itamar Franco.

Ainda segundo Mônica Bergamo, Serra estaria procurando governadores de diferentes Estados e partidos para colocar-se à disposição no Senado, em tempos de dificuldades nas contas das unidades da federação e discussão do pacto federativo. A ofensiva do senador ocorre também em um contexto em que seu correligionário, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin, defendeu a não integração do PSDB em eventual governo de Temer proporcionado por impeachment de Dilma. Para ele, poder se conquista no voto.

Aprenda a investir na bolsa