Lava Jato

Michel Temer é citado novamente em delação premiada da Odebrecht

Márcio Faria afirmou à força-tarefa da Operação Lava Jato que Temer participou de uma reunião em 2010 para tratar de doações à campanha eleitoral do PMDB daquele ano em troca de facilitar a atuação da empreiteira em projetos da Petrobras; Cunha participou do encontro

SÃO PAULO – O nome do presidente Michel Temer aparece em mais uma delação de um ex-executivo da Odebrecht, segundo informações da Veja e do jornal Folha de S. Paulo. Márcio Faria afirmou à força-tarefa da Operação Lava Jato que Temer participou de uma reunião em 2010 para tratar de doações à campanha eleitoral do PMDB daquele ano em troca de facilitar a atuação da empreiteira em projetos da Petrobras.

O encontro teria ocorrido no escritório de Temer em São Paulo. O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e João Henriques, apontado como um dos lobistas do PMDB na Petrobras, também estavam presentes. 

Procurado pela Folha, Temer afirmou, via assessoria, que Cunha levou um empresário a seu escritório em 2010 e que “pode ser o referido senhor Márcio Faria, mas não pode garantir”. Naquele ano,  Temer era deputado federal, presidente do PMDB e candidato a vice na chapa de Dilma Rousseff (PT). 

PUBLICIDADE

Segundo apurado pelo jornal com três fontes, e a contrapartida para as doações ao PMDB naquele ano estaria ligada a benefícios para a Odebrecht em obras do chamado Projeto PAC SMS da Petrobras. João Henriques afirmou que um contrato de quase US$ 1 bilhão foi fechado perto do segundo turno das eleições de 2010 entre a área internacional da Petrobras, sobre a qual ele tinha influência, e a Odebrecht. A empreiteira, segundo o acordo, cuidaria, no âmbito do PAC SMS, da segurança ambiental da estatal em dez países.