AO VIVO Por Dentro dos Resultados: CEO e CFO do Fleury falam sobre o balanço da rede de laboratórios; assista

Por Dentro dos Resultados: CEO e CFO do Fleury falam sobre o balanço da rede de laboratórios; assista

Mais uma baixa

Michel Temer demitirá AGU, diz O Globo; Fábio Osório diz que notícias são “ilações”

Decisão ocorreu após uma série de atritos: Fábio Osório deu ‘carteirada’ para usar jatinho da FAB e é responsabilizado por derrota no caso da EBC

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente interino Michel Temer decidiu demitir o chefe da Advocacia-Geral da União, Fábio Osório, de acordo com informações do jornal O Globo, após uma série de atritos. Se essa baixa for confirmada, será a terceira em pouco mais de três semanas do governo interino: Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência e Controle) deixaram o cargo após a divulgação de áudios de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro. 

O AGU, segundo o jornal, tentou embarcar esta semana para Curitiba, na Base Aérea e teve o pedido negado – após a recusa, ele deu uma carteirada nos oficiais da Aeronáutica, dizendo ter status de ministro de Estado. A confusão chegou ao gabinete de Temer.

Além disso, o presidente interino descobriu que ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Dias Toffoli só revogou sua decisão de demitir o presidente da EBC, Ricardo Melo, porque o advogado-geral da União, que faria a defesa do governo, estava na viagem a Curitiba. 

Aprenda a investir na bolsa

A coluna Radar Online, da Veja, também destaca os atritos de Osório com a equipe de Temer. Medina teria se indisposto com o titular da Casa Civil logo nos primeiros dias: pediu uma reunião urgente com Temer, passando à frente de Eliseu Padilha. Ao final do encontro, descobriu-se que a urgência foi só um jeito de “furar a fila”, o que deixou Padilha enfurecido.

Em nota, a assessoria de imprensa do AGU negou a notícia e disse que “apesar das ilações equivocadas sobre sua atuação, ele permanece trabalhando na defesa do Estado Brasileiro e dos atos do presidente da República, sempre com responsabilidade, equilíbrio, seriedade e transparência”.