Mesa Diretora devolve processo contra Renan ao Conselho de Ética

Segundo o vice-presidente do Senado, o Conselho deve agora corrigir irregularidades no processo e apurar as denúncias

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Mesa Diretora reconheceu a legitimidade da representação do P-SOL contra o presidente do Senado, Renan Calheiros, e decidiu nesta terça-feira (3) devolver o processo ao Conselho de Ética, após na última segunda o presidente do Conselho, Leomar Quintanilha, passar o processo à Mesa.

Segundo o vice-presidente do Senado, Tião Viana, o Conselho deve agora corrigir irregularidades no processo e apurar as denúncias contra Renan. Além disso, o petista disse também que a Mesa reconhece como legítimo o processo, mas admite que houve vícios em sua tramitação, por isso o caso volta ao Conselho de Ética.

A representação do P-SOL questiona o pagamento de dívidas pessoais de Renan por um empregado da empreiteira Mendes Junior. O presidente do Senado apresentou documentos para comprovação de renda. O resultado da investigação policial mostrou que as notas eram autênticas, mas não houve uma checagem fiscal e tributária sobre as transações realizadas.

Renan reafirma que não deixa o cargo

Aprenda a investir na bolsa

Apesar das pressões, o presidente do Senado reafirmou nesta terça que não vai se afastar do cargo até que seu processo seja julgado no Conselho de Ética. “Jamais. Eu não arredarei o pé da presidência. Luto e vou responder absolutamente tudo que houver e, como não há nada, isso é uma coisa fácil. Não há nenhuma acusação formal contra mim”, afirmou Calheiros.

Renan ainda negou que o Senado viva uma crise por conta das denúncias enfrentadas por ele “Não há crise na instituição. O Senado tem deliberado até mais do que a média, e vamos continuar deliberando”, garantiu.