Merkel e Dilma concordam com participação do Brasil no fortalecimento do FMI

Líderes também discutiram política monetária expansionista de países avançados, como medida para conter crise da dívida

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A chanceler alemã Angela Merkel e a presidente Dilma Rousseff anunciaram nesta terça-feira (6) que concordaram com a participação do Brasil no fortalecimento do FMI (Fundo Monetário Internacional), o que por sua vez poderia ajudar a reforçar os fundos anticrise para a Zona do Euro.

“Desde a reunião do G20 de Cannes (em novembro de 2011), afirmamos que estamos de acordo em participar no aumento do FMI”, afirmou Dilma após uma reunião numa feira comercial em Hannover, na Alemanha. Ela completou que o esforço deve ser traduzido com “o aumento da participação dos países emergentes” na direção do fundo.

Durante o encontro, as líderes discutiram as preocupações de Dilma de que uma enxurrada de dinheiro das nações avançadas, incluindo as operações de liquidez do BCE (Banco Central Europeu), prejudicava países como o Brasil por levar a apreciação de suas moedas.

Aprenda a investir na bolsa

Merkel disse “compreender estas preocupações” e garantiu que esta é uma “medida temporária” destinada a ajudar as reformas da Zona do Euro a fim de enfrentar a crise da dívida.