Mercadante confirma pedido de afastamento de Sarney da presidência do Senado

Senador diz que PT está sendo injustiçado; Suplicy aconselha presidente da Casa a se afastar da função durante investigações

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) confirmou que o Partido dos Trabalhadores fez um pedido para o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), se licenciasse de seu cargo temporariamente. O pedido, no entanto, não foi aceito por Sarney. Segundo Mercadante, o objetivo com o ato era “distensionar a Casa”.

Para o senador petista, está sendo cobrada injustamente uma ligação do PT com a atual crise administrativa e política pela qual o Senado está passando. Mercadante relembrou que, durante os últimos 14 anos, o Partido dos Trabalhadores não comandou a Primeira Secretaria da Casa, com uma ressalva para um curto período em 2007, quando o senador Tião Viana (PT-AC) presidiu a instituição interinamente.

Durante seu discurso, o parlamentar também fez críticas à postura do partido Democratas frente à situação que envolve Sarney. Segundo Mercadante, o DEM apoiou a candidatura do atual presidente da Casa para assumir a Primeira Secretaria do Senado, no entanto, está a favor do afastamento dele do cargo após o início das investigações acerca de atos secretos cometidos dentro da instituição.

Conselho?

Aprenda a investir na bolsa

Sobre a situação do Senado, Eduardo Suplicy (PT-SP) afirmou que Sarney deveria aceitar o pedido para entregar o cargo enquanto as denúncias de irregularidades são apuradas.

“Tal atitude demonstraria um espírito de isenção muito significativo (…) se estivesse no lugar de Sarney, aceitaria esse conselho (…) a melhor maneira de evitar futuros problemas é a publicidade em tempo real de todas as atividades realizadas no Congresso e, em especial, no Senado”, afirmou o senador.