Mercadante anuncia que renunciará à liderança do PT no Senado

Desgastado após a absolvição de José Sarney, senador afirma que irá militar pela concepção de partido que acredita

SÃO PAULO – Desgastado com o arquivamento dos 11 processos contra o presidente do Senado, José Sarney, o senador paulista Aloizio Mercadante anunciou em sua página no twitter que irá deixar a liderança do partido na casa.

“Eu subo hoje à tribuna para apresentar minha renúncia da liderança do Partido dos Trabalhadores (PT) em caráter irrevogável” postou Mercadante em seu microblog, afirmando que irá sair da liderança para disputar, junto à militância, a concepção de partido em que acredita.

O senador declarou que iria apresentar sua renúncia ao plenário do Senado durante a tarde desta quinta-feira (20). Contudo, postergou seu discurso após receber uma ligação do ministro de relações institucionais, José Múcio. O presidente Luís Inácio Lula da Silva teria pedido para conversar com Mercadante antes de seu pronunciamento.

PUBLICIDADE

Desta forma, Mercadante deve se pronunciar frente ao Senado apenas na sexta-feira, uma vez que, segundo sua agenda oficial, o presidente irá retornar de uma viagem ao Rio Grande do Norte no início da noite.

Mal-estar

Mercadante entrou em atrito com a direção do partido devido às denúncias feitas contra o presidente do Senado, sendo ele a favor da abertura do processo de cassação de José Sarney.

Contrariando ordens do partido, Mercadante manteve os senadores Delcídio Amaral e Ideli Salvatti no conselho de ética que apurava as acusações, que haviam manifestado indisposição de votar em favor de Sarney. Os dois, contudo, seguiram determinação do presidente do PT, Ricardo Berzoini, que orientou o voto pelo arquivamento dos processos contra Sarney.

O Senador, inclusive, se recusou a ler a nota de Berzoini com a orientação: “Seria uma hipocrisia eu ler uma nota com a qual eu não concordo. Eu disse que não encaminharia essa posição”, afirmou.