Confiança

Meirelles está confiante de que o governo cumprirá sua meta: sair das manchetes dos jornais

Em encerramento do Exame Fórum 2016, ministro da Fazenda ainda apontou importância de aprovar PEC do teto de gastos este ano por conta das expectativas

SÃO PAULO – Em evento de encerramento do Exame Fórum 2016 nesta sexta-feira, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles destacou confiança que o Brasil caminha para um ritmo de crescimento sustentável e, assim, atingir a sua meta: sair da manchete dos jornais.

“Morei no exterior e há uma grande diferença entre o Brasil e lá fora”, afirmou ele. Segundo o ministro, em outros países, “às vezes aparece uma ou outra notícia sobre o governo, até com certo destaque, mas não é algo tão constante”.

Isso porque os países crescem mais ou menos em determinados anos, mas há outras notícias que ganham destaque, apontando que o governo acaba ganhando protagonismo na imprensa brasileira, ainda mais levando em conta os momentos de crise. “Essa é a meta [sair das manchetes] e estamos caminhando nessa direção”, apontou. 

PUBLICIDADE

Meirelles destacou mais uma vez a importância da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) do teto de gastos, “fundamental” para endereçar os problemas. O ministro disse que tem conversado com o relator da PEC na Câmara, o deputado Darcísio Perondi, e que a votação em Comissão Especial deve ocorrer no próximo dia 6 de outubro. 

O ministro apontou a necessidade de celeridade na aprovação da PEC 241 ainda este ano, principalmente para a condução das expectativas dos mercados quanto ao andamento do ajuste fiscal. Ele reforça que a PEC em si não resolverá os problemas fiscais, mas é um ponto de partida para a metrificação do Orçamento e adoção de novas medidas posteriormente. “O Congresso terá oportunidade de de fato discutir o Orçamento, discutir as prioridades”, disse. 

Com um Orçamento sem limites, alguém sempre vai ter que pagar, ressaltou o ministro. E quem paga são sempre os contribuintes, ou com inflação, ou com aumento da carga tributária. “Nosso projeto se dá em primeiro lugar pelo ajuste fiscal e a reforma da previdência é parte fundamental nisso. Em segundo lugar, por fazer uma série de reformas para elevar produtividade”, aponta ele. Mostrando otimismo, Meirelles concluiu: “estou cada vez mais seguro, mais confiante de que estamos no caminho certo”.