RADAR INFOMONEY AO VIVO Por que o Santander surpreendeu o mercado? Veja as perspectivas para as ações dos bancos

Por que o Santander surpreendeu o mercado? Veja as perspectivas para as ações dos bancos

Entrevista

Medo da população com PEC do teto de gastos não se justifica, diz Mansueto Almeida

Entrevista com o Secretário de Acompanhamento Econômico da Fazenda faz parte da parceria entre InfoMoney e UM BRASIL e tem Thiago Salomão e Humberto Dantas como entrevistadores

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A série de entrevistas feitas pelo parceria entre InfoMoney e UM BRASIL recebeu nesta segunda-feira (17) o Secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida. Esta foi a primeira entrevista feita ao vivo na InfoMoneyTV. Além do editor de Mercado do InfoMoney, Thiago Salomão, a entrevista contou também com o convidado da UM BRASIL, Humberto Dantas, doutor em ciência política pela USP, como um dos entrevistadores.

Confira a entrevista completa:

Aprenda a investir na bolsa

Na conversa, Mansueto explicou que falar que a PEC do teto propõe o controle dos gastos por 20 anos é errado. Segundo ele, pela proposta, a área de saúde irá ganhar recursos, assim como a educação não será prejudicada. “A PEC não estabelece teto para saúde e educação, mas sim um piso. Depende do governo avaliar quanto gastar com estes dois setores”, afirma.

Sobre o sistema tributário, Mansueto diz que vê que a população não aceita um aumento de impostos. “O que as pessoas querem é um corte de gastos”, diz. “A chance de passar uma proposta de aumento da carga tributária no Congresso é zero”, completa o secretário.

Questionado sobre o artigo que escreveu em julho de 2015 com os economistas Samuel Pessôa e Marcos Lisboa (clique aqui para conferir), Mansueto disse que naquela época era muito mais pessimista. “O Lisboa sempre foi o mais pessimista, e mesmo assim hoje está mais otimista”, afirma. No documento de mais de um ano, os três economistas explicam por que era inevitável que ocorresse um ajuste fiscal, algo que só começa a tomar forma agora.

Em relação ao novo governo, o secretário da Fazenda elogia bastante o trabalho do ministro Henrique Meirelles e fiz que ele foi ousado em criar um plano para controlar os gastos do governo. 

“Um bom ministro da Fazenda precisa fazer um bom meio de campo entre política e economia”, explica Mansueto, que destaca que o ministro de Dilma, Joaquim Levy, era muito bom, mas que estava muito isolado dos outros ministérios. Segundo ele, hoje as pastas trabalham juntas e o fato da Previdência estar dentro da Fazenda ajuda bastante. “Meirelles tem bom relacionamento com todos, inclusive com a ala política”, conclui.