operação lava jato

MDB lamenta prisão de Temer: “inquérito não mostra irregularidades do ex-presidente”

Ex-presidente foi preso nesta quinta-feira (21) durante força-tarefa da operação Lava Jato

SÃO PAULO – O ex-presidente Michel Temer foi preso na manhã desta quinta-feira (21) em São Paulo, após pedido do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, durante força-tarefa da operação Lava Jato. Além dele, o ex-ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, também foi preso.

Em nota, o MDB diz lamentar “a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco”.

“O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa”, diz o texto. O advogado do ex-presidente, Eduardo Carnelós afirmou que a prisão de Michel Temer, seu cliente, “é uma barbaridade”.

PUBLICIDADE

A prisão do ex-presidente da República foi feita com base na delação do operador do PMDB Lúcio Funaro e que foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal em setembro de 2017. A operação tem relação com a delação do executivo da empreiteira Engevix, que envolveria propina para campanha eleitoral do emedebista.

O advogado do ex-presidente, Eduardo Carnelós afirmou que a prisão de seu cliente “é uma barbaridade”.

Leia também:
– Prisão de Temer pode atrapalhar reforma da Previdência, dizem analistas
– Ibovespa cai mais de 2% e dólar supera R$ 3,82 após prisão de Temer
– Com prisão de Temer, Bretas manda recados ao STF

Após a notícia, o Ibovespa ampliou fortemente as quedas e foi à mínima, afundando mais de 2%. Enquanto bancos e estatais caem, exportadoras sobem com a alta do dólar. É o caso das ações de Suzano (SUZB3), que sobem mais de 1%.