Política

Matarazzo desiste de prévia do PSDB, sai do partido e chama João Dória de “piada pronta”

O vereador classificou seu rival na disputa, o apresentador e empresário João Doria Junior, como "senhor feudal", "capitão do mato" e "piada pronta"

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O vereador Andrea Matarazzo anunciou nesta sexta-feira (18) que não irá mais disputar as prévias do PSDB para ser candidato à prefeitura de São Paulo e também sua desfiliação do partido. O anúncio ocorre após a sigla revogar a decisão do adiamento das prévias, marcadas para o próximo domingo (20).

O PSDB confirmou a desfiliação e está reunido para definir como fica a questão da definição do representante do partido nas eleições. “Depois de 25 anos de dedicação e lealdade, não tenho mais condições de me manter no PSDB. Tomo tal atitude depois de muito refletir, com dor no coração. Mas é o único caminho que me resta. Pelo exposto, solicito minha desfiliação do Partido da Social Democracia Brasileira!, escreveu Matarazzo.

O vereador classificou seu rival na disputa, o apresentador e empresário João Doria Junior, como “senhor feudal”, “capitão do mato” e “piada pronta”. Ele também afirmou que o empresário “usa pessoas humildes da periferia” para ganhar votos e o comparou ao senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello.

Aprenda a investir na bolsa

Matarazzo acusou João Dória de irregularidades no dia da votação do primeiro turno. “O comportamento de parte do partido nestas prévias que é uma réplica do que o PT está fazendo e o PSDB condena. Vimos compra de votos sem cerimônia com gravações para comprová-la, transporte de eleitores, constrangimento de pessoas, seguranças dentro dos locais de votação e uso da máquina pública”, escreveu Matarazzo, em nota. “Tudo isso me faz acreditar que o PSDB não é mais o partido que ajudei a construir”, completou.

O segundo turno da prévia do PSDB estava previsto para este domingo. Matarazzo pediu o adiamento para 30 de abril e o diretório municipal aceitou a solicitação, para que a denúncia de compra de votos feita pelo vereador e por seus aliados fosse analisada pelo partido antes da prévia. O diretório estadual, influenciado pelo governador Geraldo Alckmin, interveio e manteve a prévia para este domingo.