Em artigo para Folha

Marta Suplicy volta a criticar Dilma: “fazendo a vaca engasgar de tanto tossir”

Senadora afirma em artigo que “se tivesse havido transparência na condução da economia no governo Dilma, dificilmente a presidente teria aprofundado os erros que nos trouxeram a esta situação de descalabro”

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Ex-ministra da Cultura e senadora pelo PT, Marta Suplicy fez mais uma vez críticas contundentes ao governo de Dilma Rousseff em artigo à Folha de S. Paulo. No começo do mês, ela foi entrevistada pelo O Estado de S. Paulo e também criticou o seu partido: “ou o PT muda ou acaba”, destacou ao jornal.

Já no artigo, Marta afirmou que “se tivesse havido transparência na condução da economia no governo Dilma, dificilmente a presidente teria aprofundado os erros que nos trouxeram a esta situação de descalabro”. 

Segundo a ex-ministra, “não estaríamos agora tendo de viver o aumento desmedido das tarifas, a volta do desemprego, a diminuição de direitos trabalhistas, a inflação, o aumento consecutivo dos juros, a falta de investimentos e o aumento de impostos, fazendo a vaca engasgar de tanto tossir”.

PUBLICIDADE

Marta ainda destacou que houve a nomeação de um ministro, Joaquim Levy, que agradaria o mercado e a oposição, sem que houvesse explicação.” O simpatizante do PT não entende o porquê. Se tudo ia bem, era necessário alguém para implementar ajustes e medidas tão duras e negadas na campanha? Nenhuma explicação”.

Imagina-se que Dilma apoie o ministro da Fazenda e os demais integrantes da equipe econômica e que é óbvio que ela sabe o tamanho das maldades que estão sendo implementadas e que, na realidade, não é nada rósea como apresentada na eleição. Porém, ela afirma que não se tem certeza. “Ela logo desautoriza a primeira fala de um membro da equipe. Depois silencia. A situação persiste sem clareza sobre o que pensa a presidenta”.

O PT vive situação complexa, pois embarcou no circo de malabarismos econômicos, prometeu, durante a campanha, um futuro sem agruras, omitiu-se na apresentação de um projeto de nação para o país, mas agora está atarantado sob sérias denúncias de corrupção”, afirmou a senadora, ressaltando que nada foi explicado ao povo brasileiro, que sente e sofre as consequências e acompanha “atônito” um estado de total e ausência de transparência.

A peça se desenrola com enredo atrapalhado e incompreensível. O diretor sumiu”, conclui Marta.