Política

Marta acusou PT de desvios e agora vai conviver com Cunha, diz presidente estadual do partido

"Marta é página virada para nós. Ela escolheu o caminho, vai ter de explicar. Saiu do PT dizendo que não tinha garantia de vaga. Agora está sem garantia de vaga no PMDB", disse Emídio

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente do PT de São Paulo, Emídio de Souza, afirmou que a senadora Marta Suplicy (SP) vai ter agora que conviver no seu novo partido, o PMDB, com o presidente da Câmara Eduardo Cunha (RJ). Em abril, Marta deixou o PT acusando o partido de desvios éticos. As informações são do jornal O Globo. Marta deve anunciar a filiação ao PMDB em setembro.

“Marta é página virada para nós. Ela escolheu o caminho, vai ter de explicar. Saiu do PT dizendo que não tinha garantia de vaga (à candidatura). Agora está sem garantia de vaga no PMDB. Saiu do PT acusando o PT de desvios éticos e agora vai ter de conviver com Eduardo Cunha e outros. Não somos nós que temos de explicar. Desejo boa sorte a ela”, disse Emídio.

Recentemente, a Procuradoria Geral da República denunciou Cunha pelo recebimento de US$ 5 milhões de propinas do consultor Júlio Camargo num contrato para a compra de dois navios sondas pela Petrobras.

Aprenda a investir na bolsa

Em março Marta anunciou que iria se filiar ao PSB, o que levou o PT a acreditar que conseguiria firmar uma chapa com o PMDB para a reeleição de Fernando Haddad em São Paulo.