AO VIVO Por Dentro dos Resultados: CEO e CFO da Tupy comentam os números da empresa de metalurgia

Por Dentro dos Resultados: CEO e CFO da Tupy comentam os números da empresa de metalurgia

Marinha japonesa alterou dados sobre derramamento de óleo em 2003

Força de Defesa Marítima teria divulgado que derramamento de óleo seria de 200 mil barris, 75% a menos do que quantidade real

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministro da defesa do Japão, Shigeru Ishiba, admitiu nesta segunda-feira (22) que a Força de Defesa Marítima cometeu um erro proposital após o derramamento de óleo no oceano índico em 2003. O produto seria fornecido pelo Japão para os Estados Unidos.

O erro levou o governo japonês a fazer falsas afirmações públicas sobre a quantidade de óleo derramada. Além disso, causou problemas políticos, devido às alegações de que o óleo estaria sendo utilizado ilegalmente pelos Estados Unidos nas operações de guerra no Iraque.

Informações

O derramamento do óleo foi muito discutido e questionado pela oposição em 2003.

Aprenda a investir na bolsa

Inicialmente, foi divulgado que o equivalente a 200 mil barris do produto havia sido desperdiçado, mas, em setembro deste ano, uma organização divulgou documentos americanos que comprovam que a quantidade atinge cerca de 800 mil barris.

Reações políticas

O primeiro-ministro Yasuo Fukuda afirmou que o caso é vergonhoso e que jamais poderia acontecer. Quatro anos atrás, quando ainda era chefe de gabinete, Fukuda denunciou os erros de informação.

O ministério de defesa afirmou que irá repreender e punir todas as pessoas envolvidas no caso.