2º turno

Marina sinaliza apoio a Aécio no 2º turno; “cria” de Campos já confirma aliança

Candidata do PSB derrotada no 1º turno disse em São Paulo que o programa lançado pelo partido é a base de qualquer diálogo e disse ainda que "o Brasil sinalizou claramente que não concorda com o que aí está"

SÃO PAULO – O 1º turno mal terminou e as especulações sobre como será o 2º turno já começaram neste domingo (5). A grande expectativa está em saber qual candidato será escolhido pelos quase 21% de eleitores de Marina Silva (PSB), 3ª colocada nas eleições presidenciáveis. E se levarmos em conta as primeiras palavras da ex-senadora após a “derrota”, podemos ter um apoio para o candidato Aécio Neves (PSDB).

Durante espaço de eventos localizado em São Paulo, Marina falou após o resultado das eleições que o programa de governo que lançou é a base de qualquer diálogo e afirmou ainda que “o Brasil sinalizou claramente que não concorda com o que aí está”, reivindicando uma “mudança qualificada”. Dessa forma, sem citar nomes, ela deixou implícito que está mais propensa a apoiar o candidato tucano do que a atual presidente, Dilma Rousseff (PT).

Vale mencionar que João Lyra Neto, governador que substituiu Campos em Pernambuco quando ele se licenciou para disputar a presidência, já disse nesta noite que pretende apoiar Aécio no 2º turno. O PSB-PE marcou para esta segunda-feira a tarde a reunião para definir quem apoiará no 2º turno. “Vou indicar o nome de Aécio Neves para apreciação da Executiva nacional”, disse Lyra.

PUBLICIDADE

Com praticamente 100% das urnas apuradas, Dilma Rousseff recebeu 41,6% dos votos, apenas 8 pontos percentuais a frente que Aécio Neves (33,6%). Marina Silva, por sua vez, teve apenas 21,3%. A surpresa com a curta distância entre Dilma e Aécio deve gerar bastante euforia no mercado amanhã, aposta o analista Flavio Conde, da Gradual Investimentos. Durante a cobertura ao vivo do InfoMoney sobre as eleições, Conde disse que espera ver o Ibovespa subir 5% nesta segunda-feira (6), com as ações preferenciais da Petrobras (PETR4) avançando 9%. Já o dólar deve cair de R$ 2,46 para R$ 2,40.