Debate

Marina Silva diz que o Brasil que Dilma descreve é cinematográfico e não existe

Presidente contesta que apenas a força do povo brasileiro é capaz de mudar a realidade do país.

São Paulo – Durante o segundo bloco do debate de presidenciáveis da TV Bandeirantes, Marina Silva perguntou à presidente Dilma Rousseff: “Nas manifestações de julho, a senhora apresentou pactos tentando atender aos pedidos da população de mobilidade e controle da inflação, mas nada funcionou. Como a senhora explica isso?”

A presidente respondeu que considera que tudo deu certo. Segundo ela, durante sua gestão foram feitos 5 pactos. “Na educação, nós nos comprometemos a aprovar no congresso uma lei que dizia que 75% dos royalties do pré-sal iriam para a educação e 25% para a saúde. Nós aprovamos essa lei”, explicou Dilma.

A presidente afirmou ainda que, em linha com as promessas, o Mais Médicos é uma realidade. “Colocamos 14.462 médicos em mais de 3.800 municípios. 50 milhões de pessoas em todo o Brasil que não tinham médicos agora tem. Fizemos também o compromisso com a estabilidade econômica e a inflação está sistematicamente sendo reduzida. Cravamos o compromisso com a reforma política que foi enviada para o Congresso, mas não foi aprovada ainda. Além disso, foi estabelecido o compromisso com a mobilidade urbana”, explicou .

PUBLICIDADE

A candidata do PSB contestou dizendo que “a coisa mias importante, para que possamos resolver os problemas, é reconhecer que eles existem. Sem reconhecer, não passamos para a população a esperança de que terá mudanças. O Brasil que a Dilma passou é cinematográfico e não existe. A reforma da política virou troca de favores penúria na saúde e segurança”.

Dilma Rousseff, por sua vez, afirmou que a questão da reforma política é central. “Enviamos ao Congresso uma proposta enviando um plebiscito. Só a força do povo brasileiro é capaz de transformar o Brasil. No que se refere à educação, considero que tivemos um grande salto”.