Inconsistência?

Marina não deve subir em palanque com Aécio mesmo que apoie o tucano, diz fonte

Candidata à presidência pelo PSB ainda não se posicionou oficialmente sobre quem apoiará no segundo turno, mas correligionários garantem que a ex-senadora não apoiará a candidatura de Dilma de forma alguma; PSB e família de Campos participam de palanque do tucano neste sábado.

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os rumores de que Marina Silva, candidata à presidência pelo PSB e que ficou em terceiro lugar no primeiro turno, apoiará o presidenciável do PSDB, Aécio Neves, no segundo turno estão cada vez mais fortes.

“Ainda que veja o tucano como única via a ser apoiada nesta fase, Marina não deve subir em palanques com o candidato do PSDB”, afirmou um aliado da ex-senadora que pediu que sua identidade seja preservada, acrescentando que a única opcão descartada por eles é um possível apoio à candidatura de Dilma Rousseff, do PT. 

Diferentemente do que estava previsto, Marina não se posicionou oficialmente na manhã desta quinta-feira e aguarda que Aécio sinalize que vai adotar alguns pontos programáticos defendidos pela candidata do PSB.

Aprenda a investir na bolsa

Indagado sobre a possibilidade de Marina não subir ao palanque com o peessedebista, Walter Feldman, porta-voz do Rede Sustentabilidade, disse que nada foi definido até o momento. Beto Albuquerque, que foi candidato à vice-presidência na chapa de Marina, afirmou que desconhece esse posicionamento, mas garantiu que o PSB fará os primeiros grandes eventos ao lado de Aécio neste sábado em Pernambuco. Renata Campos, viúva do presidenciável do PSB, Eduardo Campos, que morreu em agosto após um trágico acidente aéreo, e os familiares do ex-governador de Pernambuco também participarão do evento.