No Jornal da Record

Marina fala sobre Petrobras, programa de governo e diz: “sociedade tirará Dilma do poder”

Marina afirmou que é a favor de que se investigue os escândalos envolvendo a Petrobras, doa a quem doer e também falou sobre temas polêmicos

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A presidenciável pelo PSB, Marina Silva, falou  nesta noite ao Jornal da Record e fez críticas ao atual governo e também à gestão atual da Petrobras, que está envolvida atualmente em mais um escândalo. 

Perguntada sobre os escândalos envolvendo a companhia evidenciados no último sábado com uma reportagem da revista Veja, em que citava Eduardo Campos entre os envolvidos, ela destacou que a sociedade brasileira tem que ter conhecimento sobre o que está acontecendo na Petrobras e que “nós queremos a verdade, doa a quem doer. O nosso compromisso é a verdade. O povo brasileiro quer a verdade”.  

Não temo nenhum compromisso. Nós queremos a verdade. Queremos que todos façam seu trabalho de investigação com autonomia e isenção sobre a Petrobras e queremos que investigações sejam feitas. […] Nós temos vários escândalos relacionados a estatal. Os meios de comunicação estão atrás de todos. A Petrobras era uma empresa que era eficiente e que agora está em completa insolvência por causa da incompetência e da má administração. É preciso que a investigação não tenha intervenção política”. 

PUBLICIDADE

A candidata do PSB ainda destacou que utilizar “dois pesos e duas medidas” é se promover a partir de escândalos e quer fazer debates em cima de coisas boas e não como os opositores, “que procuram puxar o nome de todos para a lama. Nós queremos a verdade independente de quem estiver nesta lista”, afirmou.

Marina não poupou críticas ao governo Dilma. “A presidente vai entregar país com juros altos, crescimento baixo e inflação acima do teto da meta.  Ela já sinalizou que vai reajustar a gasolina, inclusive disse que mudará sua equipe econômica, mas é tarde.  Obviamente quem fará isso será a sociedade brasileira, porque a tirará do poder”.

” A gente não pode desistir do Brasil, como dizia Eduardo. Quero governar com todos os melhores de todos os partidos. Infelizmente eles estão no banco de reservas. Nós vamos conversar com os homens e mulheres de bem que querem ver o Brasil crescer, melhorar. Faremos uma governabilidade programática e não a pragmática como é feita pelo PT. Essa governabilidade está sendo feita em prejuízo do estado e do país.”

Sobre as suas mudanças no plano de governo, ela destacou que são naturais e que o erro é não admitir quando há falhas. “Há uma cultura de que o político deve persistir no erro”. Marina afirmou que não se deve confiar em quem não apresenta um programa de governo, alfinetando os adversários. Apenas nós apresentamos um programa e eles tentam nos desqualificar. Quero saber o que Dilma fará com educação, o que ela fará com as creches, que ela prometeu entregar 6 mil e encerrará o governo com 1,1 mil concluídas . Quero saber o que ela vai fazer para controlar a inflação. Também quero saber o que Aécio pretende fazer para melhorar o País.”

Ela destacou ser contra o aborto, mas que é um tema que tem que ser preciso discutido com a sociedade e também afirmou ser a favor da criminalização da homofobia. 

“Nós tivemos a oportunidade de apresentar o nosso programa de governo, com passe livre para ir à escola, uma série de programas importantes para desenvolver o País. Para governar um País, é preciso governar com aqueles com as melhores propostas”, concluiu Marina.