Prestação de contas

Marina declara campanha de R$ 62 milhões; prestação não inclui jato de Campos

Campanha não teve dívidas; no fim de agosto, o PSB divulgou uma nota afirmando que o partido iria contabilizar e declarar à Justiça Eleitoral o empréstimo da aeronave somente na prestação final de contas da campanha, o que não aconteceu

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Marina Silva (PSB), que ficou em terceiro lugar na corrida presidencial, divulgou sua prestação de contas ontem (prazo máximo para quem disputou até o primeiro turno), informando ter arrecado R$ 62 milhões durante a campanha e terminou a corrida pelo Palácio do Planalto sem dívidas eleitorais.

A prestação final das contas da campanha do PSB também leva em conta o período em que o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morto em agosto, era o candidato da coligação. Porém, ela não explica o pagamento do jato que caiu em Santos e que vitimou o candidato e mais seis pessoas. A aeronave não aparecia na primeira prestação de contas da campanha do ex-governador de Pernambuco e seu uso é alvo de investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Eleitoral.

No fim de agosto, o PSB divulgou uma nota afirmando que o partido iria contabilizar e declarar à Justiça Eleitoral o empréstimo da aeronave somente na prestação final de contas da campanha, o que não aconteceu. O partido ainda pode apresentar uma retificação com novos dados.

PUBLICIDADE

Responsável pelas contas de Marina Silva, Bazileu Margarido afirmou que os dados referentes ao jatinho não deveriam aparecer nas planilhas de gastos e despesas de Marina, mas que “os advogados e responsáveis pela prestação de contas de Eduardo Campos ainda não conseguiram levantar junto à Anac o tempo de voo com o avião”.

(Com Agência Estado)