Desabafo da oposição

Marina critica medidas de Dilma: “uma coisa é o marketing selvagem e outra é a realidade”

Além de criticar a petista, a ex-candidata à presidência pelo PSB reforçou que permanecerá no partido até que consiga viabilizar a criação de seu partido, a Rede Sustentabilidade.

São Paulo – Derrotada nas urnas da disputa presidencial, Marina Silva (PSB) não economizou ontem críticas às primeiras medidas econômicas adotadas pela presidente Dilma Rousseff, do PT, após ser reeleita.

Sem comentar os nomes cogitados para os ministérios na nova gestão da petista, a ex-ministra afirmou que Dilma está tomando o rumo conservador, diferentemente do que sinalizou durante o processo eleitoral. 

Além disso, Marina reforçou que os integrantes da Rede Sustentabilidade permanecerão filiados ao PSB até que seja viabilizada a criação do seu partido e falou que fará uma “oposição independente”. 

PUBLICIDADE

Ainda abatida pelas duras críticas que sofreu ao longo da corrida presidencial, Marina voltou a acusar o PT de ter praticado um “marketing selvagem” durante a eleição. 

“Uma coisa foi o marketing selvagem para se ganhar a eleição e outra coisa agora é a realidade. A nossa atitude de oposição independente é coerente com aquilo que falamos durante a campanha. Seremos contrários ao que julgarmos que seja ruim e favoráveis ao que for bom”, afirmou a pessebista. Entre os pontos criticados por Marina, estão o aumento dos juros e o anúncio da redução do superávit primário em 2014 logo após as eleições.

Por outro lado, a ex-senadora preferiu não fazer muitos comentários sobre os nomes cogitados para assumir a equipe econômica no segundo mandato de Dilma.  Marina lembrou que Joaquim Levy, cotado para o ministério da Fazenda, foi braço direito do ex-ministro Antonio Palocci e classificou o economista como “competente”.