Márcio Thomaz Bastos nega qualquer participação no caso do caseiro Francenildo

"Não participei da quebra do sigilo. Nem eu nem meus assessores", ressaltou Bastos, nesta quinta-feira

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, negou qualquer participação no caso da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Santos Costa. “Não participei da quebra do sigilo. Nem eu nem meus assessores”, ressaltou Bastos, que nesta quinta-feira depôs na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

“Tudo o que eu fiz nesse caso da quebra do sigilo do senhor Francenildo foi absolutamente dentro das minhas atribuições estritas de ministro da Justiça”, defendeu-se, dizendo ainda que determinou à Polícia Federal que realizasse uma investigação rápida.

O ministro destacou que o inquérito da Polícia Federal foi concluído em tempo recorde e que Ministério Público já desvendou o processo que levou à quebra e à divulgação das informações bancárias do caseiro.

Imprensa levantou as suspeitas

Aprenda a investir na bolsa

A decisão de convocar o ministro para um depoimento foi tomada depois da publicação de notícias pela imprensa descrevendo de que Bastos teria ajudado o ex-ministro Antonio Palocci a tentar encobrir a responsabilidade pela violação do sigilo bancário de Francenildo.