Mão Santa diz que presidente Lula critica Senado por não aceitar vontades do governo

Senador afirma que governo "não se conforma" com o fim da CPMF aprovado pelo Senado; protesto pede saída de Sarney do cargo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O senador Mão Santa (PMDB-PI) declarou nesta quinta-feira (16) que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva frequentemente ataca o Senado porque a Casa não se curvou às vontades do governo petista. A declaração foi feita em resposta à fala do presidente da República de que no Senado existem “bons pizzaiolos”, referindo-se a CPI da Petrobras.

O senador disse ainda que até agora o governo Lula “não se conforma” com a atitude do Senado de acabar com a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). “Acho que a CPMF foi um teste. Se tivesse passado (a prorrogação), estava aberto o caminho. Eles querem que o Brasil vire uma Cuba, uma Venezuela”, criticou o senador.

Mão Santa concluiu que “se acabarem com o Senado, acabará a democracia (…) depois só restará a ditadura”. A Casa, que vem passando por uma crise administrativa após denúncias de irregularidades, vem sendo alvo da mídia nos últimos meses. O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), apontado como principal envolvido em atos secretos, insiste em permanecer no cargo, mesmo frente às pressões de outros parlamentares e dos civis.

Crise no Senado

Aprenda a investir na bolsa

O filho do presidente do Senado, o empresário Fernando Sarney, foi indiciado nesta semana devido a “um processo antigo, que não tem nada a ver com a crise”, como declarou o Ministro da Justiça, Tarso Genro. Fernando Sarney também está entre os suspeitos de ter cometido irregularidades no Senado.

“(O indiciamento) não quer dizer que ele (Fernando Sarney) seja culpado, quer dizer que irá responder um processo. Isso é normal em um Estado Democrático”, declarou o ministro.
Neste dia, estudantes da UNE (União Nacional de Estudantes) protestaram a favor da saída de José Sarney da presidência do Senado. “Esse Conselho de Ética, completamente tomado pelo PMDB, não tem a menor legitimidade”, declararam. Além do presidente José Sarney, os estudantes lançaram críticas à atuação do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e aos demais integrantes da Mesa Diretora do Senado.