AO VIVO Fundador da Chili Beans fala sobre a gestão de crise da empresa na pandemia; assista

Fundador da Chili Beans fala sobre a gestão de crise da empresa na pandemia; assista

Mantega e ministro argentino discutem acordos para próxima reunião do G-20

Alta dos preços das commodities, relação Mercosul e estratégias mútuas de crescimento são abordadas pelas autoridades

SÃO PAULO – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, se reuniu nesta sexta-feira (11) com o ministro da Economia argentino, Amado Boudou. O encontro serviu para discutir as respectivas agendas preparadas para a reunião do G-20, que ocorrerá em Paris, na próxima semana. A reunião também fez avançar as conversas sobre a relação comercial entre os vizinhos.

Posições comuns na reunião do G-20
Segundo Mantega, as duas nações costumam ter posições muito próximas com relação às commodities. O ministro da Fazenda acredita que Brasil e Argentina têm o mesmo perfil de exportadores, e, portanto, deverão ser contra a proposta de regulamentação dos preços. 

“Somos grandes exportadores de commodities e temos posições semelhantes quanto ao que não se deve fazer no que se refere a essa questão”, afirmou Mantega à imprensa após o encontro. As causas das altas dos preços estão muito bem detectadas, de acordo com Mantega, e os países devem se posicionar favoráveis a estímulos à produção.

PUBLICIDADE

Comércio em moeda local
O comércio em moeda local deverá ficar mais intenso nos próximos anos, assim destacou Mantega – “Não há um grande comércio em moeda local ainda. O ministro Boudou trouxe algumas idéias para que possamos aperfeiçoar. Nossas equipes estão analisando como melhorar esse sistema”. 

De acordo com o ministro brasileiro, essa iniciativa estimulará, principalmente, pequenas e médias empresas. Há um estudo, das equipes de ambos os governos, que resultaria em uma parceria em que Casa da Moeda brasileira produziria a divisa argentina.

“Isso mostra o sucesso do Mercosul, mostra uma integração importante e sempre poderemos aperfeiçoar esse comércio, que tende a se ampliar”, disse Mantega ao se referir à possível parceria com o vizinho, uma vez que o volume do comércio entre os dois países alcança os R$ 32 bilhões.