Mantega diz que novos incentivos fiscais não estão nos planos do governo

Redução na carga tributária é sugerida como outra forma de incentivo por senadores, em encontro para discutir a crise

SÃO PAULO – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta quinta-feira (28) que a concessão de novos incentivos fiscais não está nos planos do governo. A afirmação foi dada em resposta ao senador Arthur Vigílio (PSDB-AM), que questionou o ministro sobre incentivos apenas sobre contribuições, durante a reunião da Comissão de Acompanhamento da Crise Financeira.

Para combater os impactos negativos da crise na economia brasileira, o governo concedeu incentivos no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), o qual é responsável por compor os fundos de participação dos estados e municípios.

Ainda durante o encontro, outras formas de incentivos fiscais foram propostas. O senador Inácio Arruda (PC do B-CE) sugeriu a redução da carga tributária, que inclui não apenas o IPI, mas também o PIS (Programa de Integração Social e Cofins) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social.

PUBLICIDADE

Para Mantega, estas reduções são consideradas muito difíceis, uma vez que as perdas de arrecadação sofridas pelos estados e municípios estariam sendo recompensadas pelo aquecimento do consumo interno.

Recessão

Apesar das expectativas de recessão para as principais economias do mundo em 2009, o ministro não acredita que este problema afetará a economia brasileira, mesmo admitindo o crescimento negativo da economia brasileira nos dois últimos trimestres.