Mantega afirma ao FT que guerra cambial está se tornando guerra comercial

Ministro da Fazenda irá levar distorções cambiais à OMC, que segundo ele cria subsídios velados às exportações

SÃO PAULO – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que novas medidas para prevenir a valorização do real já estão sendo preparadas e que o País deverá levar a questão cambial para ser discutida junto à OMC (Organização Mundial do Comércio).

Além de citar o câmbio, Mantega alertou que a “guerra cambial está se tornando uma guerra comercial”, em entrevista concedida ao Financial Times no último final de semana.

O Ministro apontou que as medidas tomadas na última semana foram direcionadas para o mercado spot, mas que agora o foco mudou para os mercados futuros, que segundo ele, estão pressionando o real para cima. “Vocês podem esperar mais medidas voltadas para os mercados futuros”, crivou Mantega.

PUBLICIDADE

Lobby para conter manipulação
Para ele, a manipulação do câmbio entrará na pauta das reuniões do G-20 em 2011, crendo que o Brasil poderá realizar um lobby junto à OMC para que a organização defina a manipulação das taxas de câmbio como forma de subsídio velado às exportações.

Contudo, são remotas as chances de medidas neste sentido serem aplicadas uma vez que a China poderia vetá-las, segundo analistas afirmaram ao Financial Times.

Influência do câmbio na balança comercial
Mantega lembrou ainda que a balança comercial entre Brasil e EUA caiu de US$ 15 bilhões favoráveis ao Brasil ao ano para US$ 6 bilhões superavitários para os norte-americanos, desde o início da queda do dólar frente ao real.

A China também foi lembrada pelo Ministro que, segundo ele também pratica distorções nas relações comerciais através do câmbio. “Nós temos excelentes relações comerciais com a China, mas há alguns problemas, claro que nós gostaríamos de ver uma valorização do yuan”, finalizou Guido Mantega.